Clique e assine com 88% de desconto

Ex-ministro chinês é condenado à prisão perpétua

Liu Zhijun, que comandou rede de ferrovias do país, era acusado de corrupção

Por Da Redação - 8 jul 2013, 01h32

O ex-ministro de Ferrovias chinês, Liu Zhijun, foi condenado à pena de morte adiada, sentença que no sistema judiciário da China é comutada pela prisão perpétua quando o réu demonstra bom comportamento durante um período determinado, que costuma ser de dois anos.

Liu foi declarado culpado de corrupção por suborno e abuso de poder, segundo a imprensa oficial do país. O Tribunal Intermediário Número 2 de Pequim, responsável pelo caso, foi o encarregado de emitir o veredito.

O ex-ministro possui 60 anos de idade e foi responsável pela gestão da gigantesca rede de ferrovias chinesas entre 2003 e 2011, até que a Comissão Disciplinar do Partido Comunista da China (PCCh) abriu uma investigação contra ele por violações de disciplina.

Ele teria ajudado onze empresários a ganhar contratos do governo na área de transportes em troca de 64 milhões de yuanes em subornos (aproximadamente 20 milhões de reais) entre os anos de 1986 e 2011. Após a investigação, o governo chinês desmembrou em março as funções do Ministério de Ferrovias entre outros órgãos. Até a queda de Liu, o ministério era o segundo mais poderoso do governo, só atrás do da Defesa.

Publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade