Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-ministro britânico suspeito de assédio é encontrado morto

Carl Sargeant havia renunciado ao cargo na sexta-feira em meio a acusações de assédio sexual

Um ex-ministro regional do Reino Unido foi encontrado morto nesta terça-feira em sua casa. Carl Sargeant, que era responsável pela pasta das Comunidades e da Infância do País de Gales, cometeu suicídio, segundo informa a imprensa britânica. O incidente aconteceu dias depois de o político ter seu nome ligado a uma série de denúncias de assédio sexual.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro galês Carwyn Jones informou a Sargeant sobre as acusações em reunião privada. O oficial teve sua afiliação com o partido trabalhista suspensa e renunciou, segundo ele, enquanto as investigações eram conduzidas.  “Espero voltar ao governo assim que meu nome for limpo”, disse o ex-ministro em comunicado sobre o afastamento.

“Pedi ao meu gabinete para conversar com as mulheres envolvidas que deram detalhes sobre os incidentes”, disse Jones na sexta-feira sobre o caso, sem especificar a natureza das denúncias.  Ao saber do incidente de hoje, o primeiro-ministro galês manifestou suas condolências. “Carl era um amigo e colega, e estou chocado e profundamente triste pela morte”, disse.

“Estamos devastados, muito além do que palavras poderiam descrever, e sabemos que nosso luto acometerá todos aqueles que o conheciam e o amavam”, disse um porta-voz da família, que pediu para ter sua privacidade respeitada. Uma moradora de Connah’s Quay, cidade de Sargeant, disse ao jornal The Guardian que o ex-ministro era “um homem de família”.

A presidente da Assembleia galesa, Elin Jones, indicou por sua vez que a instituição não vai ser reunir nesta terça “em sinal de respeito”. “Todos nós queremos organizar nossas ideias antes de homenageá-lo como se deve nos próximos dias”, acrescentou.

Escândalos

Diversas autoridades políticas do Reino Unido tiveram seus nomes relacionados a casos de assédio sexual nos últimos dias. O secretário de Defesa Michael Fallon renunciou ao cargo nesta quarta-feira, após ser acusado de assédio sexual por uma jornalista, que alega que o oficial colocou a mão sobre o seu joelho repetidas vezes durante um jantar em 2002.

Outros quatro deputados conservadores são alvos de uma investigação interna por parte do partido, entre eles Mark Garnier, que teria pedido a uma secretária para comprar dois brinquedos sexuais e fez comentários sobre seus seios. Os trabalhistas suspenderam um de seus deputados e investiga um caso de estupro. O partido nacionalista escocês também conta com um ministro regional, Mark McDonald, envolvido em denúncias do mesmo teor.