Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-militar mata seis pessoas perto da Filadélfia

O atirador foi identificado como Bradley William Stone. Ele tem 35 anos, serviu à Marinha americana no Iraque e é considerado "armado e perigoso"

Seis pessoas foram assassinadas e outra ficou gravemente ferida, nesta segunda-feira, por um homem que efetuou disparos em três localidades próximas à Filadélfia, leste dos Estados Unidos, informaram as autoridades, que anunciaram buscar ativamente o suspeito. As sete vítimas têm algum vínculo familiar com o agressor, identificado como Bradley William Stone, um ex-militar de 35 anos, informou a procuradora do condado de Montgomery, Risa Vetri Ferman, em um comunicado.

A polícia revelou que Stone – que se desloca com a ajuda de uma bengala e pode estar de uniforme militar – é um homem “armado e perigoso”, e pediu à população que permaneça em casa. Uma foto publicada revela que Stone tem o cabelo muito curto, bigode e barba ruivos. As autoridades ainda não deram explicações sobre os motivos do ataque.

Leia também

Parentes de vítimas de massacre processam fabricante de armas

Ataque em escola nos Estados Unidos deixa três feridos

O ex-militar Bradley William Stone O ex-militar Bradley William Stone

O ex-militar Bradley William Stone (/)

A polícia iniciou investigações nesta segunda-feira na região de Pennsburg, de onde Stone é originário e onde ele poderia estar, segundo a procuradora. Até a manhã desta terça, o atirador ainda não tinha sido localizado pela polícia. A última pista aponta para as florestas de Doylestown, onde um homem – que se encaixa na descrição de Stone – foi visto depois que tentou assaltar um motorista. Stone é um ex-membro da Marinha que combateu no Iraque e teve que deixar seu posto porque sofre de estresse pós-traumático, informou a imprensa local.

Os agentes pediram aos moradores das áreas onde as vítimas foram encontradas e onde se acredita que o suspeito poderia estar foragido que não saiam de suas casas. Além disso, vários distritos decidiram suspender as aulas desta terça-feira por precaução.

(Com agências EFE e France-Presse)