Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ex-chefe do serviço secreto colombiano é condenado a 25 anos de prisão

Por Str - 14 set 2011, 18h35

A Suprema Corte de Justiça da Colômbia condenou nesta quarta-feira a 25 anos de prisão por homicídio Jorge Noguera, diretor do serviço secreto (DAS) durante a presidência de Álvaro Uribe (2002-2010), a primeira sentença contra um ex-alto funcionário de Uribe.

A Corte “resolveu declarar penalmente responsável o ex-diretor do Departamento Administrativo de Segurança (DAS) Jorge Aurelio Noguera Cotes como autor dos crimes de formação de quadrilha agravado e autor do homicídio de Alfredo Rafael Francisco Correa De Andreis”, anunciou a Corte em comunicado.

O tribunal decidiu condená-lo a 25 anos de prisão, informou a nota, indicando que o sentenciado também deverá pagar duas indenizações “por danos morais” a três familiares da vítima, equivalentes a 200 e 100 salários mínimos legais mensais (297 dólares no câmbio atual), respectivamente.

Noguera foi diretor do DAS, órgão que depende diretamente da presidência, entre 2002 e 2006, e suas atividades ilícitas teriam se desenvolvido em colaboração com paramiliatares de extrema direita infiltrados no órgão a seu cargo.

Continua após a publicidade

Sua condenação é a primeira de um alto funcionário diretamente nomeado por Álvaro Uribe, alvo de críticas de organizações de defesa dos Direitos Humanos, que o acusam de violações durante seus dois mandatos.

O ex-presidente reagiu à condenação em sua conta do Twitter, afirmando que nomeou Noguera “por sua história de vida e sua família”.

“Confiei nele, e se ele cometeu delitos sinto muito e peço perdão aos cidadãos”, declarou.

A Anistia Internacional, organização de Direitos Humanos com sede em Londres, qualificou a condenação como “um grande passo para a justiça”, em um comunicado divulgado em Bogotá.

Publicidade