Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-chefe de campanha de Trump foi alvo de escutas

Paul Manafort foi investigado por uma suposta ligação com o governo da Rússia durante a campanha eleitoral de 2016

Os telefones de Paul Manafort, ex-chefe da campanha eleitoral de Donald Trump à Presidência, foram ‘grampeados’ por uma ordem judicial secreta, antes das eleições de 2016 e depois, revelou nesta segunda-feira a emissora americana CNN. As escutas telefônicas permaneceram até o início de 2017, quando se sabia que Manafort conversava com o atual presidente.

Ainda não está claro se Trump foi gravado nas escutas. No passado, o republicano acusou o então presidente, Barack Obama, de realizar escutas ilegais na Trump Tower, algo sobre o qual o departamento de Justiça declarou não ter evidências, no início deste mês.

Manafort foi chefe da campanha de Trump entre junho e agosto de 2016. Segundo a CNN, três fontes contaram que as escutas despertaram a preocupação de que Manafort estivesse incitando os russos a ajudar Trump na campanha eleitoral.

De fato, o ex-assessor está no centro da investigação do FBI e do Departamento de Justiça sobre a suposta ingerência do Kremlin na campanha presidencial americana. Contudo, duas das fontes ouvidas pela CNN destacaram que as gravações não foram conclusivas sobre a suspeita.

Manafort foi posto sob investigação em 2014, após aparecer em uma lista de pagamentos secretos do partido do presidente deposto da Ucrânia, Viktor Yanukovich, aliado da Rússia. O processo foi suspenso em 2016, por falta de provas, mas acabou sendo retomado e permaneceu até o início de 2017. A retomada estava relacionada a uma investigação do FBI sobre contatos entre a campanha de Trump e agentes russos.

(Com AFP)