Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-chanceler de Saddam Hussein é condenado à morte

Tariq Aziz perseguiu e eliminou políticos xiitas durante a ditatura de Saddam, que era da vertente sunita do islamismo

“A Alta Corte Penal iraquiana emitiu uma ordem de execução por seu papel na eliminação dos partidos religiosos”, informou a TV estatal

Um dos principais aliados de Saddam Hussein (morto em 2006) foi condenado à morte nesta terça-feira. Segundo a TV estatal do Iraque, o ex-ministro das Relações Exteriores, Tariq Aziz, será enforcado sob a acusação de perseguir partidos xiitas durante o regime do ex-ditador. Segundo a decisão da Suprema Corte Criminal do país, outros dois envolvidos no caso receberam a mesma condenação: o ex-ministro do Interior e chefe de inteligência, Sadoun Shakir, e o ex-secretário particular de Saddam, Hamoud Abed.

Tariq Aziz ficou conhecido pela comunidade internacional e pela Organização das Nações Unidas (ONU) na época da invasão do Kuwait pelo Iraque em 1990, quando assumiu o cargo de chanceler. Ele foi condenado por fazer parte de uma campanha contra os integrantes do Partido Dawa, do qual o atual primeiro-ministro iraquino, Nouri al-Maliki, é integrante. “A Alta Corte Penal iraquiana emitiu uma ordem de execução por seu papel na eliminação dos partidos religiosos”, informou o canal de TV Al-Irakiya.

No ano passado, o ex-ministro foi condenado a 15 anos de prisão por participação no assassinato de dezenas de comerciantes e a outros sete anos por seu papel no deslocamento forçado de curdos do norte do Iraque durante o governo de Saddam. Ele se entregou às forças americanas em abril de 2003, e só passou à responsabilidade das autoridades penitenciárias iraquianas este ano. Em agosto, em uma entrevista feita da prisão ao jornal britânico The Guardian, acusou o presidente americano Barack Obama de “deixar o Iraque para os lobos”, em referência aos planos da Casa Branca de retirar suas tropas de combate do território iraquiano.

(Com agências Reuters e France-Presse)