Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ex-assessor de Trump pode pegar 9 anos de prisão por mentir no Congresso

Amigo e conselheiro político do presidente dos EUA, Roger Stone foi condenado em novembro de 2019 e conhecerá sua sentença em 20 de fevereiro

Por Da Redação - 11 fev 2020, 03h46

Roger Stone, amigo de longa data, ex-assessor e conselheiro de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pode pegar de sete a nove anos de prisão após ser condenado em novembro passado por mentir no Congresso sobre a investigação de interferência russa nas eleições de 2016 nos EUA.

Stone tem 67 anos e conhecerá sua sentença em 20 de fevereiro. Ele foi condenado por mentir ao Congresso sobre seus contatos com a organização WikiLeaks sobre o vazamento de e-mails democratas durante a última eleição presidencial.

Nas recomendações de sentença enviadas a um juiz federal na segunda-feira, 10, os promotores reivindicaram entre 87 e 108 meses de prisão.

“Roger Stone obstruiu a investigação do Congresso sobre interferência russa em 2016, ele mentiu sob juramento. Quando seus crimes foram expostos ele mostrou desprezo por esse tribunal e pelas regras da lei. Portanto, ele deve ser punido”, escreveram os promotores.

Continua após a publicidade

Roger Stone é um fiel assessor do presidente dos Estados Unidos e está entre os seis membros da equipe de Trump que foram acusados ou sentenciados após a investigação liderada pelo promotor especial Robert Mueller.

No meio de 2019, Mueller publicou um relatório de quase 450 páginas que isenta Trump da suspeita de conluio com Moscou, mas não da presunção de obstrução da justiça.

(com AFP)

Publicidade