Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ex-assessor de Trump é condenado a 14 dias de prisão por mentir ao FBI

Conselheiro de política externa da campanha do republicano teve contato com autoridades russas durante eleições de 2016

Por Da Redação Atualizado em 7 set 2018, 21h43 - Publicado em 7 set 2018, 20h07

George Papadopoulos, ex-assessor da campanha do agora presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi condenado a 14 dias de prisão nesta sexta-feira, 7, por mentir ao FBI em uma investigação sobre a interferência russa nas eleições americanas de 2016.

Papadopoulos “mentiu em uma investigação que era importante para a segurança nacional”, disse o juiz federal Randolph Moss, que também estabeleceu uma multa de 9.500 dólares. A sentença inclui um ano de liberdade supervisionada e 200 horas de serviços comunitários.

O ex-assessor de Trump fez um acordo com o promotor especial Robert Mueller, responsável pelo caso Rússia, e aceitou cooperar para ajudar nas investigações sobre a conluio entre a campanha do agora presidente e o Kremlin para prejudicar Hillary Clinton.

Em outubro de 2017, o ex-conselheiro de política internacional de Trump admitiu que mentiu ao FBI sobre uma conversa que teve em abril do ano anterior com um professor russo que tem conexões com o governo de Vladimir Putin.

Continua após a publicidade

Na conversa, que ocorreu quando Papadopoulos já era assessor de Trump, o professor prometeu repassar “milhares de e-mails” com informações comprometedoras sobre Hillary.

Papadopoulos também falou com o professor sobre um potencial encontro entre o ainda candidato Trump e Putin, que nunca aconteceu.

De acordo com a defesa do assessor, a ideia de um encontro não foi muito bem recebida por outros integrantes da equipe de campanha. No entanto, Trump concordou com a proposta e pediu para que o hoje secretário de Justiça, Jeff Sessions, organizasse o encontro.

A condenação ocorre 17 dias depois que Paul Manafort, ex-chefe de campanha de Trump, ter sido condenado por crimes de fraude envolvendo políticos e empresários russos. O caso não tem ligação com Trump, mas foi revelado por Mueller.

Além disso, Michael Cohen, ex-advogado pessoal do presidente, confessou vários crimes e envolveu Trump em um delito de violação de normas de campanha.

(Com EFE e AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês