Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

EUA têm “boas pistas” sobre carro-bomba em NY, diz secretário de Justiça

Por Da Redação 3 Maio 2010, 13h43

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse nesta segunda-feira que a polícia havia feito muitos progressos na investigação sobre um atentado frustrado com um carro-bomba na Times Square, em Nova York. Ele também afirmou que os envolvidos serão presos.

“Acho que já tivemos considerável progresso”, afirmou Holder a jornalistas. “No final, essa investigação será bem-sucedida e os responsáveis pela tentativa serão encontrados e levados à Justiça”, acrescentou.

Holder disse que investigadores ainda estavam procurando o indivíduo que foi visto na gravação feita por uma câmera de segurança próxima ao local onde houve a tentativa de atentado, no último sábado.

Horas antes, a polícia já havia informado que tratava-se de um homem branco e com cerca de 40 anos.

Os investigadores estudaram imagens de 82 câmeras de segurança na região da Times Square e também provas encontradas no carro e na bomba.

Alerta – A cidade de Nova York tem estado constantemente em alerta de terrorismo desde os atentados de 11 de setembro de 2001. Mas, autoridades minimizaram a hipótese de militantes islâmicos estarem ligados ao ataque frustrado.

“Não há prova de que a tentativa de ataque esteja ligada à Al-Qaeda ou à qualquer outra grande organização terrorista”, afirmou o prefeito Michael Bloomberg.

Continua após a publicidade

O chefe da polícia da cidade, Raymond Kelly, também disse não acreditar em um comunicado do grupo paquistanês Tehreek-e-Taliban, que reivindicou o ataque.

Em uma visita a Louisiana, o presidente Barack Obama informou que os serviços de segurança dos Estados Unidos estão realizando “todos os passos necessários” para buscar os suspeitos.

Ainda não está clara a razão para a bomba não ter sido detonada, apesar de ter soltado fumaça após pegar fogo parcialmente, dentro do veículo.

Segundo Kelly, havia no automóvel uma mistura de garrafas plásticas cheias de gasolina, fogos de artifício, três tanques de propano, dois alarmes, fios e outros materiais. Também foram encontrados no carro fertilizantes, que podem ser usados para fazer explosivos similares aos usados por Timothy McVeigh no atentado em Oklahoma, que matou 168 pessoas, em abril de 1995.

Ajuda – Um vendedor ambulante chamou a polícia ao ver o carro soltando fumaça e com as luzes de emergência e o motor ligados. O esquadrão anti bombas foi imediatamente ao local.

A secretária de Segurança Interna, Janet Napolitano, disse que o FBI, a polícia da cidade e a força-tarefa antiterror do governo estavam investigando “o potencial ataque terrorista”.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês