Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA registram menor número diário de mortes por coronavírus em um mês

Apesar da redução, país é o mais atingido do mundo e especialistas preveem que até 250.000 pacientes podem morrer após contraírem a Covid-19

Por Da Redação Atualizado em 5 Maio 2020, 09h58 - Publicado em 5 Maio 2020, 09h32

Os Estados Unidos registraram 1.015 mortes causadas pelo novo coronavírus nesta segunda-feira 4 – o número mais baixo em um mês. O país mais atingido pela pandemia tem um total de 1,1 milhão de casos e quase 69.000 óbitos.

Segundo o presidente Donald Trump, o pior cenário que os Estados Unidos podem enfrentar seria um total de mortes de 100.000 pessoas infectadas com a Covid-19. Os próprios médicos que fazem parte da força-tarefa que comanda a resposta da Casa Branca ao coronavírus, contudo, dizem que até 250.000 pacientes podem morrer no país.

Apesar de concentrar quase um terço dos casos de todo o mundo, os Estados Unidos já ensaiam uma reabertura de sua economia, com alguns estados relaxando as medidas de isolamento social. As medidas tomadas por Georgia, Oklahoma, Texas e Tennessee preocupam especialistas.

  • Nesta segunda, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, apresentou um plano de reabertura escalonada da atividade comercial. O estado é o mais atingido do país.

    Cuomo não informou um cronograma, mas a ordem estadual de confinamento domiciliar deve expirar em 15 de maio, e o governador já disse anteriormente que as áreas com menos infecções podem pensar em reabrir após esta data. Embora pouco específico, o plano revelado por Cuomo em uma entrevista diária foi o esboço mais detalhado até agora sobre como o estado –o epicentro da crise nos Estados Unidos– começará a afrouxar as restrições aos negócios e à vida cotidiana.

    Ele disse que construção, manufatura e varejistas selecionados podem voltar à ativa em uma primeira fase da reabertura, seguida por uma segunda fase que incluiria as finanças, o apoio administrativo e os setores de imóveis e aluguéis.

    ASSINE VEJA

    Moro fala a VEJA: ‘Não sou mentiroso’ Em entrevista exclusiva, ex-ministro diz que apresentará provas no STF das acusações contra Bolsonaro. E mais: a pandemia nas favelas e o médico brasileiro na linha de frente contra o coronavírus. Leia nesta edição.
    Clique e Assine

    (Com AFP e Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade