Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

EUA reforçam segurança em instalações no exterior no 12° aniversário do 11 de Setembro

Em NY e Washington, cerimônias lembram vítimas dos atentados de 2001

Por Da Redação 11 set 2013, 12h18

A Casa Branca determinou o reforço da segurança em instalações norte-americanas no exterior, como embaixadas e bases militares, por ocasião do aniversário de 12 anos dos atentados terroristas de 11 de Setembro.

Em documento divulgado nesta terça-feira, o governo americano informou que a medida é necessária depois do precedente aberto com a morte de quatro funcionários americanos há um ano, em um atentado em Bengasi, na Líbia, praticado por terroristas islâmicos, que queriam celebrar o aniversário dos atentados de 2001.

Na ocasião, o embaixador dos EUA na Líbia, Chris Stevens, e os funcionários Sean Smith, Glen Doherty e Tyrone Woods foram mortos quando um prédio consular dos EUA foi atacado com foguetes.

Novo atentado – E justamente Bengasi foi palco, nesta quarta-feira, de uma explosão que destruiu um edifício do Ministério das Relações Exteriores líbio. Ainda não há informações sobre mortos ou feridos. O atentado aconteceu menos de 24 horas depois do assassinato de um coronel da polícia em outra explosão.

Continua após a publicidade

Leia também:

Atrás da fachada, o grande escândalo líbio de Obama

“A equipe de segurança nacional do presidente está tomando medidas para prevenir ataques relacionados ao 11 de Setembro e para garantir a proteção de cidadãos e de instalações americanas no exterior”, disse o comunicado da Casa Branca. Segundo o documento, a assessora de contraterrorismo do presidente Barack Obama, Lisa Monaco, ficou encarregada de revisar as medidas de segurança.

Homenagens – O 12° aniversário dos atentados de 11 de Setembro foi marcado por cerimônias em Nova York e Washington nesta quarta-feira. Em Nova York, o nome das quase 3.000 vítimas dos atentados cometidos com quatro aviões sequestrados em 2001 – dois se chocaram contra o World Trade Center, um contra o Pentágono e outro caiu quando se dirigia a Washington – foram lidos durante uma cerimônia no local em que ficavam as Torres Gêmeas.

Às 8h46 locais (9h46 de Brasília), foi realizado um minuto de silêncio para lembrar o exato momento do impacto do primeiro avião contra a Torre Norte do World Trade Center. Às 9h03 locais (10h03 de Brasília) foi realizado outro minuto de silêncio, na mesma hora em que um segundo avião se chocou contra a Torre Sul do WTC, que foi seguido por um terceiro minuto de silêncio às 9h37 locais (10h37 de Brasília), desta vez no momento em que o voo 777 caiu no Pentágono.

Em Washington, o presidente americano, Barack Obama, e sua mulher, Michelle, acompanhados pelo vice-presidente, Joe Biden, e sua mulher, Jill, lembraram o aniversário dos atentados terroristas com um minuto de silêncio no jardim da Casa Branca.

Continua após a publicidade

Publicidade