Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA podem ser atingidos por furacão Laura nesta quarta-feira

Tempestade provoca ventos de até 110 quilômetros por hora e deve se transformar em um furacão antes de atingir Texas e Louisiana

Por Julia Braun Atualizado em 25 ago 2020, 10h21 - Publicado em 25 ago 2020, 10h01

A tempestade tropical Laura está ganhando força no Caribe e deve se transformar em um furacão antes de atingir os Estados Unidos. Os meteorologistas preveem que o fenômeno chegue ao litoral do Golfo dos EUA até a noite de quarta-feira, 26.

Até esta altura, a tempestade pode se tornar um furacão de categoria 2 ou 3 na escala Saffir-Simpson de cinco graus para medição de intensidade de furacões, disse Chris Kerr, meteorologista do DTN, uma empresa privada provedora de dados de energia, agricultura e clima.

A tempestade tropical Laura entrou no domingo em Cuba com chuvas intensas, depois de provocar 24 mortes no Haiti e na República Dominicana. Pelas suas trajetórias, 114 plataformas de petróleo do Golfo do México foram evacuadas.

Ela derrubou árvores, arrancou telhados frágeis e causou inundações sem gravidade na manhã de domingo em Cuba, de acordo com moradores e reportagens. Na Jamaica, houve relatos de deslizamentos de terra e estradas inundadas.

Nos Estados Unidos, as regiões costeiras do Texas e da Louisiana estão em alerta. Segundo as últimas atualizações meteorológicas, Laura provoca ventos de até 110 quilômetros por hora. Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC), o furacão pode provocar ondas de até 3,3 metros ao atingir o Golfo.

Na Louisiana, o governador John Bel Edwards alertou que ventos dignos de tempestade tropical chegariam na segunda-feira 24, exortando os moradores do litoral a encontrarem abrigo no interior.

  • Uma outra tempestade tropical apelidada de Marco também ronda a região do Caribe. O fenômeno, porém, perdeu força antes do previsto e poupou a costa do Golfo dos Estados Unidos de dois furacões simultâneos.

    A temporada de tempestades no Atlântico, que vai até novembro, pode ser especialmente severa neste ano. O Centro Nacional de Furacões dos EUA espera 25 tempestades e Laura é a décima segunda até agora.

    ASSINE VEJA

    Aborto: por que o Brasil está tão atrasado nesse debate Leia nesta edição: as discussões sobre o aborto no Brasil, os áudios inéditos da mulher de Queiroz e as novas revelações de Cabral
    Clique e Assine
    Continua após a publicidade
    Publicidade