Clique e assine a partir de 9,90/mês

EUA podem libertar espião israelense condenado à prisão perpétua

Jonathan Pollard enviava informações secretas da Marinha americana a Israel. Ele está preso desde 1985

Por Da Redação - 24 jul 2015, 20h15

O espião israelense Jonathan Pollard, preso nos Estados Unidos desde 1985 sob pena de prisão perpétua, pode ganhar liberdade condicional em novembro, informou o Departamento de Justiça americano.

A medida pode ser uma tentativa americana de amenizar a tensão nas relações com Israel após a assinatura do acordo nuclear com o Irã, na semana passada. Alistair Baskey, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, negou, contudo, que a liberdade condicional de Pollard tenha qualquer relação com o acordo com o Irã.

Em 2011, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, enviou carta ao presidente Barack Obama pedindo desculpas pelos crimes de Pollard e solicitando sua liberdade. “Eu sei que os Estados Unidos são um país baseado na justiça e misericórdia. Por todas estes motivos, eu respeitosamente peço que você considere este pedido de clemência. O povo de Israel será eternamente grato”. No ano passado, o premiê voltou a pedir a libertação de Pollard ao secretário de Estado, John Kerry.

Pollard era analista do serviço investigativo da Marinha americana quando foi acusado e condenado por enviar informações secretas a Israel. Ele se declarou culpado das acusações.

Continua após a publicidade

(Da redação)

Publicidade