Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA planejam aplicar tarifas a US$ 50 bi para China, diz fonte

Americanos acusam Pequim de violar direitos de propriedade intelectual; ao mesmo tempo, excluem UE e Brasil de tarifas sobre aço e alumínio

O governo dos Estados Unidos planeja impor tarifas a 50 bilhões de dólares em importações da China, uma fonte com conhecimento do assunto informou à agência Reuters nesta quinta-feira.

Às 13h30 (de Brasília), o presidente Donald Trump deve fazer um anúncio sobre tarifas e restrições a investimentos da China, com o objetivo de levar Pequim a interromper práticas que estariam violando direitos de propriedade intelectual dos Estados Unidos.

Espera-se também que o governo americano anuncie um processo contra a China na Organização Mundial do Comércio (OMC), por violações de leis comerciais. As tarifas seriam avaliadas separadamente, sem recorrer à OMC.

Funcionários da Casa Branca haviam dito anteriormente que as tarifas afetariam cerca de 30 bilhões de dólares em produtos chineses. Há expectativa para a divulgação de um relatório estimando que práticas comerciais da China, relacionadas à transferência indevida de tecnologia para empresas chinesas, causam prejuízos anuais de 30 bilhões de dólares aos Estados Unidos.

Segundo autoridades de comércio americanas, Pequim tem forçado companhias dos Estados Unidos a transferir tecnologia a suas parceiras chinesas em joint ventures (tipo de acordo para estabelecer aliança estratégica), como precondição para fazer negócios na China.

Ainda não está claro se o governo Trump decidiu por punições mais agressivas. Ontem, o representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lightsizer, disse que a Casa Branca está usando um algoritmo desenvolvido para decidir quais produtos chineses serão alvo de tarifas.

A ideia é restringir importações de bens que prejudicariam Pequim, mas causariam relativamente poucos danos a consumidores e empresas dos Estados Unidos.

Alumínio e aço

Os países da União Europeia, por sua vez, receberam isenção de tarifas impostas pelo governo americano. Lighthizer anunciou, nesta quinta-feira, que o bloco econômico seria excluído da lista de nações que terão aumento sobre as tarifas impostas ao alumínio e aço, anunciadas no início de março.

Também nesta quinta-feira, o governo americano confirmou a notícia dada pelo presidente Michel Temer de que o Brasil será excluído das cobranças.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    Sai N@ URIN@
    A quem Tem 4TRÏ
    ,só na gaveta do criado-
    -MUDO.R$.rs.R$ 😮 Ping-PONG, Xi,RI@TOA,KkK

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    ps-“EsTePaí$”: Uma Autarquia, a cada dia
    + DEKRëPTª
    EM seus 500anü$,$Ö Tem a GANHAR,PqP

    Curtir