Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA: manifestantes interrompem jantar de secretária por imigrantes

Secretária de Segurança Nacional foi reconhecida e hostilizada em restaurante mexicano de Washington, DC.

Por Da Redação Atualizado em 20 jun 2018, 18h31 - Publicado em 20 jun 2018, 11h49

Aos gritos de “vergonha”, ativistas interromperam o jantar da secretária de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, na terça-feira 19. Os manifestantes a culpam pela separação de famílias imigrantes em condições ilegais que tem ocorrido no país desde o anúncio da política de tolerância zero de Donald Trump.

O incidente ocorreu em um restaurante de comida mexicana de Washington e foi registrado em um vídeo, divulgado nas redes sociais. Integrantes do grupo Metro DC Democratic Socialists of America apontaram incoerência no comportamento da secretária ao jantar em um restaurante estrangeiro quando diversos mexicanos são deportados.

“Como você consegue aproveitar um jantar de comida mexicana quando está deportando e aprisionando dezenas de milhares de pessoas que entram nos Estados Unidos em busca de asilo?”, questionou um ativista.

O vídeo mostra Nielsen de cabeça abaixada em um canto do restaurante MXDC Cocina Mexicana, cercada por colaboradores e seguranças, enquanto os ativistas gritam “vergonha”. “Que vergonha Nielsen, que vergonha Trump”, gritaram os ativistas.

A postagem na página de Facebook do grupo recebeu milhares de reações positivas e diversos internautas demonstraram apoio aos manifestantes. “Em qualquer lugar a que ela for em Washington deveria ouvir protestos como esse”, comentou uma usuária.

Os manifestantes afirmaram que a polícia foi chamada e os agentes tentaram deter ativistas, em vão. “Nós pedimos que acabe com a separação das famílias e peça desculpas”, completou. Outro ativista gritou: “De todos os lugares, em um restaurante mexicano”.

  • O porta-voz de Nielsen, Tyler Houlton, admitiu o incidente e citou um “pequeno grupo de manifestantes que compartilhou sua preocupação com as atuais leis de imigração que criaram uma crise em nossa fronteira sul”.

    Segundo a política de tolerância zero do governo de Donald Trump, imigrantes que forem pegos cruzando ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos com o México serão processados e terão seus filhos levados. Desde abril, cerca de 2.000 crianças já foram separadas de seus pais e estão em abrigos. Imagens e áudio desses abrigos, divulgados na imprensa americana, têm causado indignação ao mostrar crianças dormindo em colchões dentro de jaulas e chorando desesperadas.

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade