Clique e assine com até 92% de desconto

EUA lista como parceiro de livre-comércio a nação fictícia de Wakanda

País e seu governante, o rei T'Challa ou Pantera Negra, foram criados pelos quadrinhistas Stan Lee e Jack Kirby; erro é atribuído a teste pelo USDA

Por Caio Mattos Atualizado em 19 dez 2019, 16h01 - Publicado em 19 dez 2019, 15h55

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) classificou Wakanda, um país africano fictício de histórias em quadrinhos da produtora Marvel, como uma das nações com as quais o governo americano já firmaram acordo de livre-comércio. O erro foi revelado pelas redes sociais na quarta-feira 18 e corrigido.

A presença de Wakanda na lista de parceiros comerciais dos Estados Unidos foi mencionada em um tuíte do usuário Francis Tseng, que publicou uma imagem do portal oficial do USDA na internet. “Os Estados Unidos sem dúvida tentariam abrir os mercados de Wakanda e inundá-los de milho barato e subsidiado”, ironizou Tseng.

Após o erro ser corrigido, um porta-voz do órgão, Mike Illenberg, explicou que o fato se deu por um erro em uma sessão de testes. Um funcionário teria usado “arquivos de teste para se assegurar que o sistema [do site do USDA] estava funcionando apropriadamente”, disse Illenberg ao Washington Post. “A informação sobre Wakanda deveria ter sido removida após o teste e agora já esta fora do ar”, concluiu.

Independentemente do país ser fictício, o USDA não é o responsável por negociar acordos comerciais com governos estrangeiros. A autoridade americana que se incumbe dessa tarefa é a Representação de Comércio dos Estados Unidos (USTR).

A nação de Wakanda, localizada no leste da África, e seu chefe de Estado, o rei T’Challa, identidade secreta do super-herói Pantera Negra, foram criados pelos quadrinhistas americanos Stan Lee e Jack Kirby na segunda metade do século XX. A primeira aparição do herói data de julho de 1966.

Entre 2016 e 2019, Wakanda apareceu em quatro filmes diferentes do Universo Cinematográfico da Marvel, dentre eles Pantera Negra, de 2018, que ganhou três Oscars — trilha sonora original, figurino e direção de arte. O país é conhecido por exportar um minério também fictício chamado de Vibranium, do qual é feito o escudo do super-herói Capitão América.

Esta não é a primeira vez que o governo do presidente Donald Trump se refere a um Estado no continente africano que não existe. Em setembro de 2017, em um encontro com líderes da África, ele mencionou duas vezes um suposto país chamado “Nambia”, provavelmente uma confusão com Namíbia e Gâmbia, que realmente existem e estão localizados no continente.

Continua após a publicidade
Publicidade