Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

EUA: Há ‘lacuna’ entre intenção de proteger civis e atos de Israel em Gaza

Secretário de Estado americano, Antony Blinken, afirmou que exército israelense está tomando medidas adicionais para evitar mortes da população

Por Da Redação
8 dez 2023, 09h58

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, disse na noite de quinta-feira 7 que existe uma “lacuna” entre a intenção de Israel de proteger os civis na Faixa de Gaza e os resultados reais de suas ações e ataques no terreno contra o Hamas.

De acordo com o Ministério de Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, mais de 16 mil palestinos morreram desde 7 de outubro devido a bombardeios a incursões por terra israelenses. As Forças de Defesa de Israel (FDI) afirmaram que a proporção entre civis e combatentes mortos é de aproximadamente dois para um, o que considera “tremendamente positiva”.

“Lacuna”

Blinken, durante uma coletiva de imprensa, disse que Israel tomou “algumas medidas adicionais importantes” para proteger civis ao levar sua campanha militar terrestre para o sul da Faixa de Gaza, após o fim da trégua temporária na sexta-feira passada.

“Os israelenses têm esvaziado bairros em vez de cidades inteiras”, observou o secretário de Estado americano, apontando também para a resolução de conflitos e áreas seguras estabelecidas pelas FDI em Gaza.

Continua após a publicidade

“Ainda permanece uma lacuna entre exatamente o que eu disse quando estive lá – a intenção de proteger os civis – e os resultados reais que estamos vendo no terreno”, esclareceu Blinken.

Abrigos protegidos

Nesta sexta, o coronel Elad Goren afirmou ao jornal The Times of Israel que as autoridades israelenses identificaram cerca de 150 abrigos em Gaza que, segundo elas, não serão alvo das FDI durante suas operações em andamento em Gaza.

Estes abrigos somam-se à área de al-Mawasi, que Goren diz não ter sido alvo das FDI, mesmo depois de grupos terroristas terem disparado foguetes de dentro da zona costeira de 20 quilômetros quadrados.

Continua após a publicidade

Segundo Goren, os abrigos são escolas e outras infraestruturas públicas, cujas coordenadas foram transmitidas pelas Nações Unidas a Israel através do mecanismo de resolução de conflitos recentemente reforçado das FDI.

“Colapso total”

Mesmo assim, o diretor da agência das Nações Unidas que opera em Gaza, a UNRWA, declarou nesta sexta que o território palestino já está em “colapso total” devido aos ataques de Israel.

“A ordem civil está em colapso em Gaza – as ruas parecem selvagens, especialmente depois de escurecer – alguns comboios de ajuda humanitária estão a ser saqueados e veículos da ONU apedrejados. A sociedade está à beira do colapso total”, tuitou Thomas White.

Continua após a publicidade

Ele afirmou que, apesar das condições horríveis, a UNRWA “continua a servir a população com a ajuda limitada de que dispomos”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.