Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

EUA expulsam consulesa da Venezuela em Miami, enquanto Ahmadinejad viaja a Caracas

Por Por Jordi Zamora 8 jan 2012, 17h33

Os Estados Unidos ordenaram a expulsão da consulesa-geral da Venezuela em Miami, Livia Acosta Noguera – envolvida, segundo um documentário do canal Univisión, em um complô iraniano anos atrás -, enquanto o presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, viajava, neste domingo, a Caracas.

Livia tem até terça-feira para deixar os Estados Unidos, anunciou o porta-voz para a América Latina do Departamento de Estado, William Ostik. “Não podemos comentar os detalhes por trás da decisão de declará-la persona non grata”, disse.

O canal hispânico Univisión exibiu em 8 de dezembro uma reportagem, que incluía gravações clandestinas, sobre um complexo complô contra os Estados Unidos que, supostamente, teria envolvido as embaixadas de Venezuela, Cuba e Irã no México entre 2006 e 2008.

Livia trabalhava como segunda-secretária da embaixada venezuelana no México em 2007, quando o suposto professor de informática mexicano Juan Carlos Muñoz lhe informou sobre a possibilidade de realizar ataques virtuais a instalações nucleares americanas. A funcionária venezuelana garantiu a Muñoz, segundo as gravações obtidas pela emissora Univisión, que gostaria de estar ciente do complô, e que tinha acesso direto a conselheiros do presidente Hugo Chávez.

Os ataques teriam sido propostos pelo especialista em informática a dois embaixadores iranianos consecutivos no México – Muhammad Roohi Sefat e Muhammad Ghadiri -, entre 2006 e 2007, com a colaboração da embaixada cubana na Cidade do México, segundo a versão da Univisión.

Continua após a publicidade

Um jovem estudante mexicano do professor Muñoz teria viajado ao Irã posteriormente, para ser doutrinado e aprender a realizar atentados.

A reportagem também dá conta de outras atividades do Irã e do movimento islâmico Hezbollah na Venezuela e Argentina. O Departamento de Estado julgou o documentário preocupante.

A expulsão da consulesa representa uma mensagem clara, diante dos vínculos de Chávez com Ahmadinejad, dupla que, a cada encontro, não perde a oportunidade de anunciar novos acordos políticos ou energéticos.

Chávez viajou nove vezes ao Irã em 13 anos de presidência, e os dois países anunciaram colaborações técnicas na área de energia nuclear, o que irritou Washington.

Venezuela e Estados Unidos expulsaram seus embaixadores em 2010, e a relação com Caracas é a mais complicada para o Departamento de Estado americano na América Latina.

Em outubro passado, o Irã foi acusado de tentativa de atentado contra o embaixador saudita nos Estados Unidos, mediante uma conspiração complexa, em que estava envolvido um mexicano membro de um cartel do narcotráfico, na verdade informante americano.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)