Clique e assine a partir de 8,90/mês

EUA: ex-diretora do Fisco chamou conservadores de ‘loucos’

Republicano afirma que mensagens de Lois Lerner são mais uma prova de atuação tendenciosa contra grupos não alinhados com os democratas

Por Da Redação - 30 jul 2014, 21h49

A ex-diretora de isenções fiscais do IRS, o Fisco americano, referiu-se a grupos conservadores como “loucos” e “babacas” em uma troca de e-mails divulgada nesta quarta-feira por deputados republicanos. Lerner está no centro das investigações sobre o uso da máquina pública contra adversários políticos do governo que foram alvo de perseguição pelo IRS ao solicitar isenção de impostos.

Nas mensagens enviadas a uma pessoa não identificada, em novembro de 2012, Lerner comenta conversas entre apresentadores de rádio conservadores e ouvintes, dizendo que “não é preciso se preocupar com terroristas estrangeiros. São nossos próprios malucos que vão nos derrubar”. Para o deputado Dave Camp, que revelou o conteúdo, as mensagens são mais uma prova de que a ex-diretora agiu de forma tendenciosa, e demonstram sua animosidade pessoal contra esses grupos.

Leia também:

‘Ninguém acredita em você’, diz republicano a chefe do Fisco americano

EUA: cartas derrubam tese de que abusos do Fisco foram restritos

“Essa nova evidência mostra claramente que Lerner não só mirou grupos conservadores, mas também negou a esses grupos seus direitos e a igualdade perante a lei”, disse Camp em uma carta na qual encaminha os conteúdos das mensagens ao Procurador-Geral, Eric Holder.

No ano passado, Lerner foi inicialmente suspensa e depois acabou sendo forçada a deixar o cargo. Ela foi a primeira autoridade do governo a revelar os abusos e chegou a pedir desculpas às entidades prejudicadas durante uma reunião reservada da American Bar Association (instituição equivalente à OAB). Depois que o escândalo veio à tona, foi chamada a prestar esclarecimentos em uma audiência no Congresso, mas preferiu se calar para não produzir provas contra si própria. Steven Miller,ex-chefe do IRS reconheceu que o pedido de desculpas foi uma tentativa frustrada de abafar um relatório com informações sobre uma investigação realizada pelo Tesouro que ia apontar os crimes no Fisco.

O escândalo do fisco explodiu após a divulgação da informação de que grupos conservadores foram submetidos a interrogatórios ilegais ao solicitarem isenção de impostos. Situação bem diferente da vivenciada por grupos ligados ao Partido Democrata, que eram atendidos prontamente, sem nenhuma exigência.

Continua após a publicidade
Publicidade