Clique e assine a partir de 9,90/mês

EUA estudam enviar ao México imigrantes brasileiros irregulares

Número de brasileiros detidos disparou no último ano e governo quer incluí-los no programa em que solicitantes aguardam no país vizinho o julgamento

Por Redação - 17 jan 2020, 11h24

Autoridades dos Estados Unidos estudam formas de conter o crescente fluxo de brasileiros que cruzam de forma irregular a fronteira do país – uma das alternativas é enviar os imigrantes para o México durante o processo de regularização.

O número de brasileiros detidos ao tentar entrar irregularmente nos Estados Unidos disparou em 2019: foram 17.900 pessoas, em comparação com as 1.500 prisões no ano anterior.

Apesar de representarem uma parcela pequena dos imigrantes que tentam chegar ao país, o aumento exponencial de sua presença na fronteira acendeu o alerta das autoridades imigratórias. O Departamento de Segurança Interna (DHS) cogita incluir os imigrantes brasileiros no Protocolo de Proteção aos Imigrantes, no qual o solicitante de refúgio aguarda no lado mexicano da fronteira a conclusão dos trâmites legais para poder entrar nos Estados Unidos.

Antes contemplando apenas pessoas de língua hispânica, o protocolo enviou mais de 57 mil imigrantes irregulares, segundo o próprio DHS, de volta ao México para aguardarem as audiências judiciais desde sua implementação em 2018.

Continua após a publicidade

A porta-voz do DHS, Heather Swift, não confirmou nem negou a possibilidade de brasileiros serem encaminhados ao México, mas disse que o departamento “sempre está buscando maneiras de ampliar e fortalecer o programa para incluir novas localidades, populações e procedimentos”.

Um debate sensível no debate publico americano, a imigração se tornou eixo central do discurso e políticas publicas do presidente, Donald Trump. Desde sua campanha, Trump busca meios para financiar a construção de um muro que cubra toda a faixa fronteiriça entre Estados Unidos e México, ao mesmo tempo em que as agências migratórias atuam com punho de ferro na fronteira.

(Com Reuters)

Publicidade