Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA enviam 5 prisioneiros de Guantánamo para os Emirados Árabes

Os cinco detentos, nascidos no Iêmen, não foram acusados formalmente pelo governo americano, mas permaneceram presos há treze anos

Os Estados Unidos anunciaram a libertação de cinco detentos da prisão de Guantánamo como parte do plano de fechar a prisão militar americana na ilha cubana. Os cinco presos, todos nascidos no Iêmen, foram enviados aos Emirados Árabes Unidos. Atualmente, 107 detentos ainda permanecem na prisão em Cuba, afirmou o Pentágono em uma declaração oficial, acrescentando que Washington é muito grata “ao governo dos Emirados Árabes Unidos por sua disponibilidade em apoiar os esforços dos Estados Unidos para fechar o centro de detenção da Baía de Guantánamo”.

Leia mais:

Guantánamo deve ser fechada antes do fim do mandato de Obama

Estados Unidos descartam devolver Guantánamo a Cuba

EUA libertam outros cinco presos de Guantánamo

Os cinco detentos iemenitas nunca foram acusados formalmente pelo governo americano, mas são mantidos presos há treze anos por suspeita de ligação com o grupo terrorista Al Qaeda. Devido aos conflitos internos no Iêmen, proibições legislativas impedem o envio de presos àquele país, e os EUA precisam negociar com outras nações a transferência de presos iemenitas. Estes são os primeiros prisioneiros aceitos pelos Emirados Árabes para reassentamento.

Os Estados Unidos abriram a prisão de Guatánamo para manter suspeitos de terrorismo após os ataques de 11 de setembro. O presidente Obama transformou em prioridade de seu governo o fechamento da prisão. Ele acredita que os militantes a usam para recrutar novos membros e afirma que Guantánamo prejudica a imagem dos Estados Unidos.

(Da redação)