Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA: Caçador do leão Cecil volta a atender pacientes em clínica dentária

Walter Palmer foi recebido sob protestos em sua clínica na cidade de Bloomington, no Estado de Minnesota

Sob discretos protestos, Walter Palmer, o dentista americano que matou o leão Cecil no Zimbábue, em julho, voltou ao trabalho nesta terça-feira. Ele entrou em silêncio em sua clínica na cidade de Bloomington, no Estado de Minnesota, onde alguns poucos manifestantes o aguardavam. Usando camisetas com a imagem do leão estampada, eles pediam a extradição do caçador e carregavam cartazes com os dizeres ‘Animais não são troféus’.

Em entrevista ao jornal americano Minneapolis Star Tribune, publicada no domingo, o caçador disse estar comovido pelo transtorno causado na vida de seus funcionários em sua clínica dentária. “Eu tenho muitos funcionários e estou um pouco de coração partido pela interrupção de seus trabalhos”.

Leia mais:

Caçador de Cecil: de dentista anônimo a um dos homens mais odiados do planeta

Zimbábue pede extradição do dentista americano que matou leão Cecil

Empresas aéreas dos EUA proíbem transporte de troféus de caça após morte de leão Cecil

A clínica permaneceu fechada durante semanas depois que o nome de Walter Palmer veio a público. No final de agosto, o estabelecimento reabriu sem sua presença. Na entrevista publicada no final de semana, o dentista-caçador revelou que voltaria ao trabalho. “Sou um profissional da saúde. Preciso voltar para minha equipe e para meus pacientes. Eles me querem de volta”, disse.

No início de julho, Palmer caçou com arco e flecha, matou e arrancou a cabeça do leão Cecil, no Zimbábue. Antes, com a ajuda de seus guias, ele atraiu o animal para fora da proteção do parque com uma isca.

(Da redação)