Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

EUA alertam contra viagens à França por variantes do coronavírus

Na atualização da lista de destinos considerados seguros, país agora está em 'nível 4', onde risco de contaminação é considerado 'muito alto'

Por Da Redação 10 ago 2021, 16h26

Com base em recomendações do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), o Departamento de Estado dos Estados Unidos emitiu um alerta nesta segunda-feira, 9, pedindo que americanos evitem viagens à França por conta da situação de casos da Covid-19.

“Se você tiver que viajar à França, garanta que está totalmente vacinado antes de embarcar”, afirmou o CDC, acrescentando que, “dada a situação atual na França, até mesmo viajantes completamente vacinados podem estar em risco de contrair e transmitir variantes da Covid-19”.

Na atualização da lista de países considerados seguros para viagem, a França agora está em “nível 4”, onde o risco de contaminação é considerado “muito alto”. O grupo é o mesmo do Brasil, assim como Israel, Islândia, Croácia, Áustria, Quênia e Jamaica.

A medida foi anunciada em um momento em que Washington enfrenta forte pressão da União Europeia para permitir a entrada de cidadãos europeus vacinados.

Em 8 de junho, o CDC flexibilizou suas recomendações para viagens a 60 países considerados de muito alto risco devido à pandemia e incluiu boa parte dos membros da União Europeia. No entanto, em 7 de julho, os EUA estenderam de um mês para um ano a validade das autorizações especiais de entrada para viajantes de países afetados pela proibição de viagens devido à crise da Covid-19, incluindo o Brasil e os países do espaço Schengen.

Mais tarde, no final de julho, a Casa Branca confirmou que não pretende suspender “neste momento” as restrições de entrada em seu território. Em contrapartida, cidadãos americanos têm permissão de viajar à França sem quaisquer restrições, independentemente de estarem vacinados ou não.

Ao todo, a França soma mais de 6 milhões de casos de Covid-19, incluindo 112.000 mortes. Embora hospitalizações estejam longe dos números registrados no pico da doença, uma média de 22.000 novos casos estão sendo registrados diariamente.

Pra tentar reduzir a transmissão do vírus,  entrou em vigor na segunda-feira em todo o território francês a lei que autoriza a exigência do passe sanitário. O documento consiste em uma prova de vacinação ou um teste negativo para o coronavírus.

A medida é a primeira parte de uma nova campanha contra o que o governo define como aumento “estratosférico” nos casos ligados à variante Delta, mais transmissível e identificada pela primeira vez na Índia. As restrições foram anunciadas pelo presidente Emmanuel Macron em 12 de julho, representando algumas das mais duras em vigor na Europa.

Continua após a publicidade

Publicidade