Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

EUA: ‘agente sírio’ espionou manifestantes da oposição

Por Da Redação 12 out 2011, 18h10

Um cidadão americano nascido na Síria foi acusado de espionar os manifestantes opositores do regime sírio e fornecer gravações de áudio e vídeo aos serviços de inteligência desse país, segundo a ata de acusação divulgada nesta quarta-feira. Mohamad Anas Haitham Soueid, de 47 anos e morador de Leesburg, na Virginia, foi indiciado formalmente nos Estados Unidos em 5 de outubro em seis acusações, incluindo espionagem para o governo sírio. Ele foi detido na última terça-feira.

A embaixada da Síria negou imediatamente as acusações de Washington, caracterizando-as como “ridículas”. A missão diplomática de Damasco afirmou em um comunicado: “Nem Soueid nem nenhum ouro cidadão dos Estados Unidos é um agente do governo sírio”. A embaixada também negou que o regime tenha pagado pelos gastos de viagem ou tenha dado qualquer tipo de fundos a Soueid, e rejeitou a ideia de que o acusado tenha se reunido em particular com o ditador sírio Bashar Assad. “Este é um esforço flagrante para difamar a embaixada da Síria com base em puras mentiras e falsidades”, afirma o comunicado, que cobra do departamento de Justiça americano provas das acusações.

Suspeitas – Soueid também foi acusado pelos Estados Unidos de dar falsas declarações a agentes federais e em um formulário de compra de armas de fogo. Mas ele é suspeito, especialmente, de ordenar gravações de áudio e vídeo de manifestantes na Síria e nos EUA e de ter enviado esses registros aos serviços de inteligência sírios. Segundo a ata de acusação, ele teria tentado “reprimir, intimidar e potencialmente causar danos a pessoas – em ambos os países – que protestavam contra o governo sírio, sob o controle e a supervisão do regime”.

O caso foi descoberto quando os EUA e outros países recriminaram a repressão das manifestações contra o regime de Assad. Soueid foi Interrogado em 3 de agosto por agentes do FBI, ocasião em que negou os fatos. Naturalizado americano, o acusado deveria comparecer ante a Justiça ainda nesta quarta. Se for considerado culpado, Soueid poderá ser condenado a 15 anos de prisão pela acusação de espionagem.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade