Clique e assine a partir de 9,90/mês

EUA adotam sanções contra a Guarda Revolucionária do Irã

Alvos da medida americana auxiliaram divisão das Forças Armadas iraniana a arrecadar bilhões de dólares

Por Da Redação - Atualizado em 26 mar 2019, 16h10 - Publicado em 26 mar 2019, 15h16

O departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta terça-feira, 26, a imposição de sanções contra 25 pessoas e entidades relacionadas à rede internacional que canaliza dólares e euros para a Guarda Revolucionária do Irã (IRGC).

Os alvos das sanções são empresas de fachada dos bancos Ansar e Ansar Exchange, controlados pela IRGC, no Irã, na Turquia e nos Emirados Árabes Unidos. Juntas, as instituições financeiras movimentaram mais de 1 bilhão de dólares para o regime de Teerã, de acordo com o Tesouro americano.

Os fundos beneficiaram tanto a Guarda Revolucionária – Exército ideológico da República Islâmica – quanto o Ministério da Defesa e Logística das Forças Armadas iranianas, acrescentou a pasta americana.

As sanções buscam tirar os alvos do sistema financeiro global, proibindo os cidadãos e empresas americanas, incluindo bancos internacionais com presença nos Estados Unidos, de fazer negócios com eles.

Continua após a publicidade

“Qualquer instituição financeira estrangeira que conscientemente facilite uma transação significativa para qualquer uma das pessoas ou entidades sancionadas hoje pode estar sujeita a sanções”, advertiu o Tesouro.

As 25 pessoas e entidades sancionadas são, em sua maioria, empresas de câmbio relativamente pequenas, classificadas pelo Tesouro como “empresas de fachada”. Seus proprietários e gerentes trabalharam com o Ansar Bank e Ansar Exchange.

Além disso, os principais diretores do Ansar Bank e do Ansar Exchange foram sancionados.

“Esta vasta rede é apenas o mais recente exemplo do uso do regime iraniano de práticas enganosas para explorar o sistema financeiro global e desviar recursos para entidades sancionadas”, disse o subsecretário do Tesouro para o Terrorismo e Inteligência Financeira, Sigal Mandelker.

Continua após a publicidade

Washington aumentou a pressão econômica sobre o Irã desde que o presidente Donald Trump decidiu se retirar do acordo nuclear de 2015 no ano passado, dizendo que Teerã não estava “à altura do espírito do acordo”.

Em janeiro, no entanto, a diretora da Agência Central de Inteligência (CIA), Gina Haspel, disse ao Congresso que o Irã continuava cumprindo os termos do acordo.

A Guarda Revolucionária Iraniana é uma divisão das Forças Armadas, fundada depois da Revolução Iraniana. Tem seu próprio ministério e suas próprias unidades navais e aéreas.

A força é acusada pelos Estados Unidos e outras nações de envolvimento com os grupos terroristas Hamas e Hezbollah.

Continua após a publicidade

(Com AFP)

Publicidade