Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

EUA adiam lançamento de míssil para evitar tensões com a China

Nesta quinta-feira, Pequim enviou dezenas de aviões e disparou mísseis reais em treinamentos militares próximo a Taiwan

Por Da Redação 4 ago 2022, 19h03

O governo dos Estados Unidos optou por adiar um teste que já estava planejado de um míssil balístico intercontinental para evitar o aumento das tensões com a China, que já estão altas devido à visita da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, a Taiwan nesta semana. A informação foi confirmada pelo porta-voz de segurança nacional do país, John Kirby, nesta quinta-feira, 4.

Em resposta à ida de Pelosi, Pequim enviou dezenas de aviões e disparou mísseis reais em treinamento militares próximo à ilha nesta quinta, considerados “exagerados” pela Casa Branca. O Partido Comunista Chinês considera Taiwan parte de seu território por direito e nunca renunciou ao uso da força para colocá-la sob seu controle. 

Pelosi chegou a Taipei na noite de terça-feira 2, sob intenso escrutínio global. Ela conheceu a presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, bem como outros líderes políticos e empresariais e dissidentes. A líder da Câmara disse que a solidariedade dos Estados Unidos com Taiwan é “crucial” para enfrentar uma China cada vez mais autoritária.

O governo da China reagiu com fúria à visita desde que o plano vazou algumas semanas atrás. Pequim alertou sobre contramedidas – uma ameaça frequentemente ouvida em resposta a atos estrangeiros de apoio a Taiwan, mas que gerou níveis mais altos do que o normal de preocupação dos observadores da China.

+ ‘Estados Unidos não serão intimidados pela China’, diz Casa Branca

Em entrevista, Kirby disse que o adiamento é uma forma de mostrar aos chineses que os Estados Unidos “falam sério quando dizem que não têm o objetivo de intensificar as tensões”. O governo de Biden tem se esforçado para mostrar que a visita de Pelosi foi feita de maneira independente pela democrata e que não significa uma afronta por parte do presidente. 

Continua após a publicidade

De acordo com o jornal The Wall Street Journal, o lançamento do míssil Minutemen III deveria acontecer ainda nesta semana na Califórnia. No entanto, a Força Aérea achou melhor adiar o teste para evitar um desgaste ainda maior com os chineses. Esta, inclusive, não é a primeira vez que isso acontece. No começo do ano, dois testes do mesmo míssil foram adiados depois que a Rússia colocou suas forças de dissuasão nuclear em alerta máximo. 

Sob Xi Jinping, o líder mais poderoso da China em décadas, Pequim tomou ações militares mais agressivas na região e aumentou a presença no estreito que separa Taiwan da China continental, uma das rotas marítimas mais movimentadas do mundo.

+ Nancy Pelosi promete que China não impedirá relação entre EUA e Taiwan

Nesta quinta-feira, Exército de Libertação Popular da China iniciou exercícios militares ao redor de Taiwan, incluindo disparos reais nas águas e no espaço aéreo ao redor da ilha. Os exercícios, distribuídos em sete locais diferentes, devem terminar apenas no domingo. Segundo o Ministério da Defesa de Taiwan, os exercícios militares chineses desafiam a lei internacional e equivalem a um bloqueio de seu espaço marítimo e aéreo. Voos e navios ainda podiam chegar a Taiwan, mas teriam sido aconselhados a encontrar rotas alternativas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)