Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

EUA aceleram missão de treinamento de tropas iraquianas

Militares que já estavam no Iraque foram deslocados para a província de Anbar para treinar forças locais, operação considerada crucial no combate ao Estado Islâmico

Por Da Redação 17 nov 2014, 05h44

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, afirmou que o Pentágono vai acelerar o treinamento das forças iraquianas para combater o Estado Islâmico, usando tropas que já estão no Iraque para iniciar o trabalho. Segundo o chefe do Pentágono, o general Lloyd Austin, que comanda as forças americanas na região, recomendou que as tropas iniciem o treinamento com alguns dos 1.600 soldados que já estão no país.

Leia também:

EI divulga vídeo com decapitação do 5º refém estrangeiro

Iraque expulsa o EI de cidade com maior refinaria do país

Londres reforça medidas contra retorno de jihadistas

Continua após a publicidade

‘Forbes’ lista os grupos terroristas mais ricos do mundo

“Concordamos com as recomendações para usar parte das forças de operações especiais que já temos no Iraque em algumas operações com as forças de segurança iraquianas na província de Anbar para acelerar a missão. Sim, estamos fazendo o que podemos com os recursos que temos para acelerar os trabalhos”, disse Hagel a jornalistas, no domingo.

O anúncio foi feito na esteira da decisão do governo americano de dobrar o número de tropas no país, com o envio de mais 1.500 soldados para treinar nove brigadas iraquianas e estabelecer mais dois centros de aconselhamento de comandos militares.

O presidente Barack Obama pediu 5,6 bilhões de dólares ao Congresso para financiar os trabalhos, incluindo 1,6 bilhão para equipar forças iraquianas. A informação inicial era que o montante precisava ser aprovado pelo Congresso antes que qualquer novo esforço tivesse início. No entanto, Hagel afirmou que forças de operações especiais já foram deslocadas para a província de Anbar nos últimos dias.

Cerca de cinquenta soldados estão na base aérea de Ain al-Assad preparando o treinamento. O local foi a principal base militar dos EUA durante a guerra de 2003-2011. O Pentágono informou ainda que alguns países já se comprometeram verbalmente a ajudar no esforço de treinamento.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)