Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estupro coletivo na Suécia é transmitido ao vivo pelo Facebook

Três jovens foram presos pelo crime após denúncias de usuários da rede social

Três homens acusados de estuprarem uma jovem na Suécia e transmitirem o crime ao vivo pelo Facebook foram presos nesta segunda-feira, informou a polícia local. O ato aconteceu no domingo, na cidade Uppsala, 70 quilômetros ao norte da capital do país, Estocolmo.

Os três suspeitos, nascidos entre 1992 e 1998, foram presos pela manhã em um apartamento, quando ainda estavam com a vítima, de 18 anos, graças a denúncias de usuários do Facebook. Quando a polícia chegou ao local, o vídeo ao vivo ainda estava em transmissão em um grupo fechado com cerca de 10.000 membros.

Josefine Lundgren foi uma das primeiras a alertar as autoridades. Segundo ela, o suspeito de 24 anos, considerado pela polícia como principal autor do crime, “arrancou as roupas” de sua vítima antes de estuprá-la e estava com uma arma. Segundo Lundgren, pelo menos sessenta pessoas estavam assistindo à transmissão e havia comentários de apoio, incluindo um escrito “três contra uma”, seguido de risadas.

Em entrevista coletiva, os investigadores pediram que qualquer pessoa que tenha salvado as imagens da agressão entregue o material à polícia. O vídeo não está mais disponível na rede social, porém, não ficou claro se foi apagado pelas autoridades ou pelo próprio Facebook. “Temos algumas imagens e vídeos, mas não temos fragmentos que mostrem a agressão em si”, disse o vice-procurador em Uppsala, Magnus Berggren.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. gisellenasc1

    Esconderam essa informação porque são jovens do oriente médio, que são refugiados de guerra e a Europa devem dar todo o suporte pra essa gente pra depois eles chegarem aqui e violar suas mulheres, pra quem fica defendendo esses islâmicos, onde mulher nos países deles valem menos que coco…depositemos que aturar artistazinhos da Globo apoiando ongs pra aceitar esse povo no Brasil…é o fim dos tempos.

    Curtir

  2. José Borges, a notícia foi copiada de algum jornal do exterior. E jornais suecos escondem o termo “refugiado” para evitar “xenofobia”. Vou resumir, são refugiados, que violentaram uma sueca.

    Curtir

  3. Diego Santana

    Como consegue fazer uma reportagem escondendo que os estupradores eram todos muçulmanos e que isso é comum na Suécia?

    Curtir

  4. Durango Charlie

    Será que foram muçulmanos “refugiados”? Por que a Veja está omitindo essa informação???

    Curtir

  5. A revista Islam continua bloqueando meu comentário onde ue posto um link para s imagens dos estupradores com suas feições árabes e africanas. É do site InfoWars.

    Curtir