Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudantes marcham e pedem provas de que Chávez está vivo

Marcha questiona capacidade do coronel de governar o país. Chávez está internado há mais de dois meses. Sua volta a Caracas foi anunciada, mas ele ainda não foi visto

Centenas de estudantes opositores e outros críticos do governo de Hugo Chávez marcharam em Caracas neste domingo para exigir uma prova de que o coronel ainda está vivo e comanda o país. A multidão, incluindo vários membros da coligação opositora Mesa de Unidade Democrática, empunhava cartazes com frases como: “Diga-nos a verdade!” ou “Pare de mentir!”.

O movimento dos estudantes de oposição recebeu apoio de atores políticos como o ex-candidato a presidente Diego Arria e o deputado da minoria opositora na Assembleia Nacional Richard Blanco. Os manifestantes percorreram uma importante via do município de Chacao até o local onde estudantes estão concentrados há vários dias para exigir a formação de uma junta médica que determine a condição de saúde do caudilho.

“Eles estão violando a constituição. A Venezuela não tem nenhuma autoridade agora. O presidente Chávez está doente, ele não disse uma palavra em dois meses. Ele não pode governar”, disse a manifestante Maria Montero, uma professora de 56 anos.

Leia também:

Maduro diz que Chávez está doente por ‘trabalhar pelo povo’

Chávez vai prestar juramento ‘quando achar apropriado’

O vereador Freddy Guevara, do movimento opositor Vontade Popular, afirmou que os estudantes demonstram “a luta de todos” ao exigir que o governo esclareça se Hugo Chávez pode ou não comandar o país, informou o jornal El Universal.

No comunicado sobre a marcha, os estudantes contrários ao governo Chávez destacaram a “incerteza institucional” causada pela “destruição do sistema democrático como forma de governo na Venezuela”.

Marcha pró-Chávez – Integrantes da juventude do partido governista Psuv também fizeram uma marcha neste domingo em apoio a Chávez, e classificaram os estudantes opositores de “marionetes”.

Na madrugada do dia 18 de fevereiro, a volta de Chávez a Caracas foi anunciada por meio de sua página no Twitter e divulgada por integrantes do governo. No entanto, nenhuma imagem do coronel foi divulgada desde então. O coronel estaria recebendo tratamento no hospital militar da capital.

O anúncio foi feito depois de mais de dois meses de internação em Havana, Cuba, onde o coronel foi submetido a uma quarta cirurgia para combater um câncer, no dia 11 de dezembro. Durante todo esse período, a única imagem do caudilho a ser divulgada oficialmente foram fotos dele com as filhas, que o governo apresentou no dia 15 de fevereiro.

Na última sexta-feira, o vice-presidente Nicolás Maduro afirmou que Chávez está sendo submetido a sessões de quimioterapia. Segundo ele, o tratamento só pôde começar após o coronel se recuperar um pouco dos problemas respiratórios que o afetaram no pós-operatório.

(Com agências Reuters e EFE)