Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudantes islâmicos atacam embaixada britânica em Teerã

Teerã, 29 nov (EFE).- Um grupo de estudantes islâmicos atacou nesta terça-feira a embaixada do Reino Unido em Teerã, eles arrancaram a bandeira britânica, saquearam documentos e causaram danos em algumas instalações.

O incidente ocorreu ao fim de uma manifestação de estudantes em frente ao prédio da legação britânica, convocada por organizações universitárias ultraconservadoras do regime islâmico, contra o Governo de Londres. Em resposta a estas medidas, o regime islâmico decidiu reduzir suas relações diplomáticas com a Grã-Bretanha.

Dezenas de estudantes enfrentaram os policiais que vigiavam a manifestação e saltaram o portal situado no muro que rodeia a Embaixada. Após substituir a bandeira britânica pela iraniana no mastro do edifício, entraram em suas dependências, saquearam documentos e jogaram pelas janelas.

A seguir, os concentrados continuaram jogando pedras, ovos e outros objetos contra o portão e o muro da Embaixada, mas não há informações sobre feridos até o momento.

Os estudantes também gritavam ‘vamos tomar posse da Embaixada britânica’, lembrando a invasão da embaixada dos Estados Unidos em 1979, que foi ocupada por estudantes islâmicos, apoiados pelo regime do aiatolá Ruhola Jomeini, durante 444 dias.

Antes do início do incidente, centenas de estudantes concentrados no local cantaram palavras de ordem como ‘morte à Inglaterra’, ‘morte aos Estados Unidos’ e ‘morte a Israel’, queimando várias bandeiras britânicas e israelenses.

O fato acontece dois dias após o Parlamento iraniano ratificar com grande maioria uma lei para diminuir as relações com o Reino Unido, o que supõe a retirada de embaixadores.

A lei passou na segunda-feira por seu último trâmite, ao ser validada como constitucional pelo Conselho de Guardiães da Revolução iraniana. De acordo com o texto, o Ministério de Relações Exteriores tem duas semanas para aplicar a lei e reduzir ao mínimo as relações políticas e econômicas com o Reino Unido.

A redução das relações acontece em resposta à decisão britânica, adotada na última semana, de impor novas sanções financeiras ao Irã, medidas acordadas também por Canadá e Estados Unidos.

Estas sanções foram adotadas por causa da suspeita manifestada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) de que o programa nuclear iraniano tem uma vertente militar, o que Teerã negou taxativamente e assegura que é exclusivamente civil, com fins pacíficos. EFE