Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Estudante de Harvard vai a tribunal por ameaça de bomba

O aluno Eldo Kim queria se livrar de um exame final na universidade

Por Da Redação 19 dez 2013, 07h17

Um estudante da Universidade de Harvard será processado após ter feito ameaças falsas de bomba para escapar de uma prova final. A promotoria em Boston abriu uma queixa na terça-feira contra Eldo Kim, de 20 anos, por ter enviado um e-mail com informação falsa de que bombas com estilhaços seriam detonadas em dois dos quatro prédios do campus em Cambridge, cidade próxima de Boston, em Massachusetts. O e-mail foi enviado minutos antes de ele fazer um exame final em um dos prédios.

As ameaças levaram ao esvaziamento dos prédios na segunda-feira, que ficaram fechados por horas até que os investigadores determinassem que não havia explosivos no local. A direção de Harvard diz “estar triste” com as acusações, mas afirmou que não faria comentários sobre a investigação, que cabe à Justiça. Kim disse às autoridades que enviou o e-mail com a ameaça de bomba cerca de meia hora antes do horário do início de sua prova final. O aluno disse que estava lá às 9h00, quando ouviu o sinal do alarme e soube que seu plano havia dado certo.

Leia também

Harvard reabre prédios após suspeita de bombas

O estudante Eldo Kim
O estudante Eldo Kim VEJA

Segundo a queixa, Kim enviou e-mails de uma conta apócrifa para a polícia de Harvard, dois funcionários da universidade e para o presidente do jornal Harvard Crimson, dizendo que bombas haviam sido colocadas em vários pontos do campus. Uma investigação do FBI descobriu que Kim acessou o TOR, um produto de internet gratuito que atribui, temporariamente, um endereço de protocolo de internet anônimo, usando a rede sem fio da universidade. Com isso, o estudante tinha intenção de se proteger mantendo-se anônimo – seu plano, no entanto, falhou.

A pena máxima no Estado americano de Massachusetts para ameaças falsas de bomba é de cinco anos de reclusão e multa de 250.000, informou a promotoria. O estudante também sofrerá um processo administrativo da universidade e corre o risco de ser expulso da instituição.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade