Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Estoniano é condenado a 15 anos de prisão na Rússia por espionagem

Eston Kohver está preso desde setembro de 2014. O governo da Estônia alega que ele foi sequestrado em seu país e levado para a Rússia

Por Da Redação 19 ago 2015, 21h27

A Justiça russa condenou nesta quarta-feira a 15 anos de prisão por espionagem um agente do serviço de inteligência estoniano. Eston Kohver está preso na Rússia, mas teria sido sequestrado em seu país por agentes russos, o que motivou queixas dos países europeus. O tribunal regional de Pskov, no noroeste da Rússia, declarou Kohver “culpado de espionagem, de posse ilegal de armas e de cruzar ilegalmente a fronteira russa”, disse o advogado do agente, Evgueni Aksionov.

Segundo a promotoria russa, Kohver realizava uma operação secreta na Rússia quando foi descoberto. O governo estoniano, por sua vez, acusa os serviços de segurança russos (FSB) de terem sequestrado o agente na Estônia, quando ele investigava o crime organizado na fronteira comum.

Leia também:

Justiça inocenta presos acusados por homicídio de líder da oposição na Rússia

Kiev denuncia ‘número recorde’ de ataques rebeldes no leste da Ucrânia

Continua após a publicidade

“O sequestro de Eston Kohver no território da República da Estônia por parte do FSB em 5 de setembro [de 2014] e sua detenção ilegal na Rússia constituem uma violação flagrante do Direito Internacional”, declarou a ministra das Relações Exteriores estoniana, Marina Kaljurand. “Pedimos que a Rússia liberte imediatamente Eston Kohver”, acrescentou.

Segundo a chancelaria estoniana, o agente da Kaitsepolitsei, agência estoniana de segurança encarregada de contraespionagem, a luta contra o terrorismo e os grandes casos de corrupção, não pôde receber assistência consular, e o julgamento careceu de todas as garantias necessárias.

O presidente estoniano, Toomas Hendrik Ilves, pediu, por sua vez, que os cidadãos usem na quinta-feira, quando a Estônia comemora sua independência, laços amarelos, em sinal de solidariedade.

Reagindo à notícia, os Estados Unidos pediram a libertação de Kohver. “Estamos profundamente preocupados com a condenação a uma pena de 15 anos (de prisão) do funcionário de segurança interior estoniano Eston Kohver”, afirmou em um comunicado o porta-voz do departamento de Estado, John Kirby. “Pedimos mais uma vez à Federação Russa que cumpra suas obrigações internacionais e devolva imediatamente Kohver à Estônia”, acrescentou.

A União Europeia (UE) também apelou para a soltura do estoniano. “A UE volta a pedir à Federação Russa que atue de acordo com suas obrigações internacionais, liberte imediatamente Kohver e garanta seu retorno em total segurança à Estônia”, disse a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, que na segunda-feira viajará ao país báltico para uma visita já prevista.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade