Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Estados Unidos registram primeira morte por coronavírus

Paciente era do Estado de Washington; surto do Covid-19 já matou mais de 2.900 pessoas ao redor do mundo

Por Redação Atualizado em 29 fev 2020, 20h56 - Publicado em 29 fev 2020, 16h12

Autoridades de saúde do Estado de Washington relataram a primeira morte de paciente por coronavírus nos Estados Unidos neste sábado, de acordo com um comunicado enviado à imprensa.

Em pronunciamento a repórteres na Casa Branca, o presidente americano, Donald Trump, afirmou que a vítima era uma mulher com saúde fragilizada, que tinha mais de 50 anos. “Ela era uma mulher maravilhosa”, afirmou. Mais tarde, porém, autoridades americanas corrigiram a informação, afirmando que a vítima era um homem.

O governador de Washington, Jay Inslee, divulgou uma nota confirmando a morte. “É um dia triste para o nosso estado por descobrirmos que uma pessoa de Washington morreu por Covid-19″, diz o comunicado. Nossos corações estão com a sua família e amigos. Vamos continuar a trabalhar para que um dia não tenhamos mais mortes por esse vírus.”

“Em parceria com o Departamento de Saúde de Washington, o Departamento de Emergência de Washington e a comunidade local e de saúde, estamos fortalecendo nosso preparo e esforço de resposta. Estou comprometido a manter a população de Washington saudável, segura e informada”, termina o texto.

Continua após a publicidade

Restrições a viajantes

Autoridades dos Estados Unidos disseram neste sábado que as restrições aos viajantes do Irã seriam expandidas para incluir cidadãos estrangeiros que visitaram o país nos últimos 14 dias como parte de um esforço para reduzir a propagação do coronavírus nos EUA.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse que os Estados Unidos também trabalhariam com a Itália e a Coreia do Sul para coordenar a triagem de viajantes que entram nos Estados Unidos a partir desses países. Pence fez suas declarações em coletiva de imprensa na Casa Branca ao lado do presidente Donald Trump e de outras autoridades.

O risco de coronavírus para qualquer americano médio permanece baixo, disse o secretário de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, Alex Azar, na coletiva de imprensa. Mas Azar alertou que isso pode mudar rapidamente. “Queremos diminuir a quantidade de viagens de e para as áreas mais afetadas pelo coronavírus”, disse Azar.

O surto de coronavírus já provocou mais de 2.900 mortes ao redor do mundo, a maioria na China continental. Até o momento, mais de 85.000 casos da Covid-19 já foram registrados, com infecções em todos os continentes, com exceção da Antártica. No Brasil, há um caso confirmado, de um paciente de São Paulo.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)