Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estados Unidos acusam China de ciberespionagem

Em discurso diante de militares chineses, secretário de Defesa dos Estados Unidos responsabiliza Pequim por ataques a setores do governo americano

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, acusou a China de espionagem cibernética em um discurso feito neste sábado em um fórum de segurança em Cingapura. Membros do governo americano já haviam responsabilizado Pequim pelos recentes ciberataques contra o país, mas desta vez a acusação aconteceu na presença de diversos militares chineses de alta patente.

Leia também:

China está por trás de ataques, diz consultoria americana

Estados Unidos se armam contra ataques cibernéticos

“Os Estados Unidos manifestam sua preocupação com a ameaça crescente das intrusões informáticas que têm origem, ao que parece, no Exército e no governo chinês”, disse Hagel em um discurso para os principais responsáveis de Defesa da Ásia reunidos na cúpula. Entre os ouvintes estavam membros da Defesa chinesa e comandantes militares.

As acusações mútuas de ciberespionagem entre Estados Unidos e China cresceram nos últimos meses, depois que os sistemas de jornais, empresas e setores do governo americano sofreram tentativas de invasão em aparentes ataques de hackers chineses. O discurso de Hagel neste sábado parece antecipar a pressão que Washington pretende fazer contra Pequim em relação ao tema na cúpula bilateral entre os dois países, agendada para a próxima semana.

Entrevista: ‘A ciberguerra já começou’, diz o especialista Eugene Kaspersky

Resposta chinesa – Um relatório do Pentágono enviado ao Congresso em maio, e vazado recentemente pela imprensa americana, revela uma vasta campanha de ciberespionagem promovida pela China e que teria como objetivo a coleta de informações confidenciais sobre a diplomacia, a economia e a Defesa dos Estados Unidos. Em resposta, Pequim divulgou uma nota rebatendo as acusações e dizendo que o relatório continha “erros de julgamento”. “Primeiro, ele subestima a segurança do Pentágono (contra invasões). Depois, ele subestima a inteligência do povo chinês. A China é totalmente capaz de construir as armas e o equipamento necessários para se defender.”

Apesar da crescente tensão diplomática entre os dois países nessa questão, Hegel defendeu em seu discurso que Estados Unidos e China continuem buscando um maior entendimento. “Estamos determinados a trabalhar de forma mais vigorosa com a China e outros parceiros para estabelecer normas internacionais de conduta responsável no ciberespaço.”

(Com agência France-Presse)