Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Estado Islâmico toma controle de Ramadi, no Iraque

A tomada da cidade, a capital da província mais importante do país, é a maior vitória do grupo extremista neste ano

Por Da Redação 17 Maio 2015, 18h02

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) tomou toda a cidade de Ramadi, no Iraque, depois que forças de segurança fugiram após uma série de ataques de carros-bomba. Em um site frequentado por membros do EI, uma mensagem do grupo alegava que seus militantes tomaram uma base do exército em Ramadi, assim como tanques e lançadores de mísseis que foram deixados para trás por soldados em fuga.

Leia também:

Explosões de carros-bomba matam 15 pessoas no Iraque

Tropas americanas matam um dos chefes do Estado Islâmico

Coalizão aniquila o ‘número 2’ do Estado Islâmico

Continua após a publicidade

De acordo com o site do jornal The New York Times, a perda da cidade foi confirmada pelo porta-voz da província iraquiana de Anbar, a mais importante do país, da qual Ramadi é capital. “A cidade caiu”, disse Muhannad Haimour. Segundo ele, pelo menos 500 civis e seguranças foram mortos nos últimos dois dias em Ramadi e em seus arredores. A tomada da cidade é a maior vitória do Estado Islâmico este ano.

Neste domingo, oficiais militares afirmaram ter ocorrido pelo menos quatro bombardeios simultâneos que tinham policiais como alvo. Ao menos dez pessoas morreram, segundo informaram, e outras quinze foram feridas. Mais tarde, a polícia disse que três suicidas dirigiram carros com explosivos na direção dos portões da operação de comando de Anbar, quartel-general dos militares da província. Cinco soldados morreram e doze se feriram.

Fortes enfrentamentos eclodiram entre forças de segurança e militantes do Estado Islâmico logo depois dos ataques. Os extremistas tomaram o bairro de Malaab assim que forças do governo recuaram. Um policial que estava em Malaab afirmou que as forças que recuaram abandonaram cerca de trinta veículos do exército e armas, incluindo fuzis. Segundo ele, doze oficiais da polícia ficaram desaparecidos depois do enfrentamento.

O revés ocorre apenas um dia depois da decisão de Bagdá de mandar reforços para ajudar as forças em Ramadi. Embora tenha falado em uma transmissão da TV estatal, o primeiro-ministro Haider al-Abadi não comentou a situação de Ramadi ou de qualquer outro local na província de Anbar. Aeronaves iraquianas lançaram ataques aéreos contra posições do Estado Islâmico em Ramadi no domingo, disse o Ministro de Defesa, mas não deu mais detalhes.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)