Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Estado Islâmico reivindica autoria de ataque no Texas

O grupo terrorista disse que 'soldados do califado' executaram a ação contra um evento com charges sobre Maomé e fez novas ameaças aos Estados Unidos

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h34 - Publicado em 5 Maio 2015, 07h04

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta terça-feira em uma mensagem de rádio a autoria do ataque de domingo contra uma exposição de charges de Maomé em Garland, no Texas. Na ocasião, dois atiradores abriram fogo contra o centro cultural que realizava o evento e foram mortos por agentes que faziam a segurança do local. Um policial ficou levemente ferido no tiroteio.

LEIA TAMBÉM:

Polícia mata atiradores perto de exposição de charges de Maomé

Identificados os dois homens que atacaram exposição no Texas

“Dois soldados do califado executaram um ataque contra uma exposição de caricaturas contra o profeta em Garland, Texas”, afirmou o grupo jihadista na mensagem. O boletim informativo do EI acrescenta que a exposição trazia “imagens negativas do profeta Maomé”. A gravação termina com uma ameaça: “Dizemos aos EUA que o que está por vir será maior e mais amargo. Vocês verão que os soldados do Estado Islâmico fazem coisas terríveis”. Esta é a primeira vez que o Estado Islâmico reivindica um ataque em solo americano.

Atiradores – Nesta segunda-feira, a o FBI divulgou a identidade dos dois atiradores mortos no ataque. Elton Simpson, do Arizona, já tinha sido investigado por terrorismo depois de uma breve detenção quando tentava viajar à África para se unir a um grupo jihadista somali.

O segundo atirador, Nadir Hamid Soofi, de 34 anos, não era conhecido do FBI. Sua página no Facebook diz que ele se formou em uma universidade no Paquistão, porém ainda não está claro se ele era cidadão paquistanês.

(Com agência France Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade