Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estado Islâmico reivindica atentado em Cabul que deixou 63 mortos

Suicida detonou explosivos que carregava no corpo em um salão de festas

O Estado Islâmico reivindicou neste domingo, 18, a autoria do atentado suicida que matou 63 pessoas e deixou outros 182 feridos na noite de sábado, durante um casamento em Cabul, no Afeganistão. O ataque ocorreu por volta das 22h40 (15h10 em Brasília) de sábado, quando um suicida detonou os explosivos que carregava em um salão de festas.

Em comunicado divulgado pela rede social Telegram, cuja veracidade não pôde ser comprovada independentemente, o EI explicou que primeiramente um suicida identificado como Abu Asem al Pakistani detonou os explosivos que carregava. Depois, um carro-bomba explodiu.

“Quando as forças de segurança chegaram ao local, os mujahidines (combatentes) detonaram um carro-bomba estacionado, o que deixou 400 mortos e feridos entre os renegados e os membros apóstatas das tropas afegãs”, afirmou o grupo extremista.

Ferdawas Faramarz, porta-voz da polícia na capital, confirmou que “63 pessoas morreram e outras 182 ficaram feridas, incluindo mulheres e crianças, no ataque suicida da noite passada em Cabul”. O chefe do governo do Afeganistão, Abdullah Abdullah, classificou o atentado como “odioso e desumano” e enviou suas condolências às famílias das vítimas.