Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estado Islâmico paga até R$ 38.000 a seus recrutadores, diz ONU

O valor serve como recompensa pelos novos jihadistas cooptados. Recrutar indivíduos com boa formação acadêmica rende um valor maior aos terroristas

O Estado Islâmico recompensa seus recrutadores em até 10.000 dólares, o equivalente a 38.400 reais, por cada novo jihadista que se une à organização para lutar na Síria e no Iraque, afirmaram nesta sexta-feira especialistas da Organização das Nações Unidas em um relatório publicado na Bélgica.

Segundo Elzbieta Karska, chefe da unidade da ONU que estuda o problema dos combatentes estrangeiros que viajam a zonas de conflito, o EI está utilizando as redes sociais e as conexões informais e familiares para recrutar novos jihadistas. Os intermediários, que em muitos casos estão na Síria, “obtêm um pagamento em função do número de pessoas recrutadas”, afirma o relatório preliminar publicado na Bélgica, o país europeu mais afetado por este fenômeno.

Leia mais:

Estado Islâmico é o principal suspeito do atentado na Turquia, diz premiê

Iraque informa que atingiu comboio com o chefe do Estado Islâmico

Apesar dos ataques aéreos russos, Estado Islâmico avança na Síria

“O que soubemos é que os recrutadores recebem de 2.000, 3.000, a 10.000 dólares dependendo de quem for captado”, afirmou Karska em coletiva de imprensa. Os valores citados equivalem a 7.600, 11.500 e 38.400 reais. “Se for alguém com boa formação, como especialista em informática ou um médico, então pagam mais”.

Também segundo o relatório, o perfil dos jihadistas do Estado Islâmico é diverso, mas a idade média está em torno dos 23 anos e há cada vez mais mulheres que decidem se unir aos terroristas. As motivações são variadas, desde a “convicção religiosa” e “motivos humanitários” à “busca de aventuras”. “Muitas têm uma boa situação financeira”, completa Elzbieta Karska.

(Com agência France-Presse)