Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estado Islâmico mata 25 pessoas em festa religiosa no Iêmen

Um atentado reivindicado pelo grupo extremista sunita Estado Islâmico (EI) em uma mesquita de Sana, no Iêmen, deixou 25 mortos e dezenas de feridos entre fiéis xiitas durante a festa muçulmana do Adha nesta quinta-feira. O ataque teve como alvo a mesquita Balili, frequentada por partidários dos rebeldes xiitas houthis, que controlam a capital iemenita há um ano.

Uma bomba explodiu na mesquita durante a oração do Eid al-Adha (Festa do Sacrifício), causando pânico entre os fiéis que correram para a saída, onde um homem-bomba se explodiu, de acordo com fontes da segurança e testemunhas.

Leia também:

Bombardeios em Sana deixam pelo menos 15 civis mortos

Duplo atentado reivindicado pelo EI deixa ao menos 28 mortos no Iêmen

Apesar da revista dos fiéis na entrada do santuário, os autores do ataque conseguiram introduzir no edifício três cargas explosivas escondidas em sapatos e roupas íntimas, explicou o chefe da segurança da mesquita. “Nós encontramos explosivos em um sapato e numa cueca abandonados no banheiro”, indicou Adnane Khaled.

Segundo ele, duas cargas foram neutralizadas, mas uma terceira colocada perto do “mihrab”, estrutura elevada onde o imã lidera a oração, explodiu.

“Quando as pessoas se precipitaram para sair da sala de oração, um homem-bomba tentou forçar caminho para entrar na mesquita”, disse Khaled. “Ele foi interceptado na entrada por um guarda de segurança e se explodiu”.

O oficial de segurança confirmou o balanço de 25 mortos fornecido por fontes médicas, acrescentando que 20 fiéis morreram no local e cinco no hospital.

O EI reivindicou a autoria do ataque em um comunicado divulgado por sites jihadistas. O grupo afirma que um dos seus membros – identificado como Amr al-Hadidi- “detonou seu cinto de explosivos na mesquita Balili no setor de Bab el-Yemen entre os infiéis huthis, causando muitas baixas”.

O grupo extremista, que considera os xiitas como hereges, reivindicou vários ataques desde março contra xiitas em várias mesquitas em Sanaa.

Os primeiros, em 21 de março, fizeram 142 mortes e o mais recente matou mais de 30 pessoas no início de setembro.

Medidas foram adotadas para garantir a segurança da mesquita Balili. Blocos de concreto foram colocados ao redor do local de culto para evitar ataques com carros-bomba.

(Com AFP)