Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Estado Islâmico assume atentados que mataram ao menos 51 na Síria

Duas explosões, uma delas com um carro-bomba, deixaram várias vítimas civis perto de cidade tomada horas antes por rebeldes sírios e pelo Exército turco

Por Da Redação - 25 fev 2017, 10h12

O grupo Estado Islâmico assumiu em comunicado na internet a autoria de dois atentados suicidas ocorridos na sexta-feira que deixaram ao menos 51 mortos na Síria– um deles com um carro-bomba e outro com explosivos amarrados ao corpo – em postos militares em Sousian, distrito a oito km da cidade de Al-Bab, que havia sido recuperada horas antes por tropas turcas e rebeldes que lutam contra o governo de Bashar al-Assad. 

Apesar de os ataques terem ocorrido em postos militares, a maioria dos mortos (perto de 30) era de civis, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). “O ataque foi feito perto de um posto de controle, mas havia muitas famílias reunidas ali que queriam retornar a Al-Bab. Portanto, temos muitas mortes de civis”, disse um combatente de um dos grupos rebeldes que lutam na região com o apoio de tropas turcas.

O principal ataque ocorreu às 8h (3h de Brasília), quando um carro-bomba explodiu em frente a dois centros de comando rebelde. No segundo ataque, um pouco mais tarde, terroristas explodiram bombas que carregavam presas às roupas matando dois soldados turcos e ferindo outros. “Os ‘cães’ de [Abu Bakr] al-Baghdadi [chefe do EI] não puderam suportar esta grande perda e seus suicidas começaram sua vingança” pela tomada de Al-Bab, disse Abu Jaafar, comandante das Brigadas Mutasem, um dos grupos rebeldes sírios que lutam na região.

Localizada a 25 km ao sul da fronteira com a Turquia, a cidade de Al-Bab era o último reduto dos extremistas do EI na província síria de Aleppo. A batalha contra o grupo islâmico se intensificou na última quarta-feira (22) com disparos de morteiros e artilharia. A retomada da cidade é vista como uma grande vitória do governo turco, que quer criar ali uma zona de segurança para o país e, para isso, iniciou uma grande ofensiva na Síria em agosto do ano passado.

Publicidade

Em um comunicado, o Exército turco assegurou que os rebeldes que têm seu apoio “controlam todos os bairros de Al-Bab” e realizam um trabalho para retirar minas e material bélico deixados pelo EI que não explodiram nos confrontos. “Esta cidade está um caos, há explosivos, bombas, armadilhas”, acrescentou, afirmando que uma “operação de limpeza está sendo conduzida com extremo cuidado”, disse o primeiro-ministro turco Binali Yildirim.

O avanço dos rebeldes em Al-Bab contra o EI ocorre no mesmo momento em que tem início, em Genebra (Suíça), a quarta rodada de negociações entre o regime e os rebeldes sob mediação da Organização das Nações Unidas (ONU) para tentar acabar com a guerra que assola a Síria há seis anos.

(Com Agências)

Publicidade