Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estado Islâmico afirma que decapitou refém croata no Egito

Grupo jihadista filiado do EI divulgou uma foto de uma pessoa decapitada na internet afirmando ser o croata Tomislav Salopek, que foi sequestrado em 22 de julho no Cairo

A Província do Sinai, organização terrorista egípcia filiada ao grupo Estado Islâmico (EI), publicou uma foto do corpo decapitado de um refém croata que havia sido ameaçado de morte na semana passada, informou o serviço de monitoramento terrorista Site nesta quarta-feira. A foto foi distribuída pelo Twitter nesta quarta-feira e rapidamente se espalhou nas redes sociais.

A imagem foi divulgada com uma legenda em árabe que afirmava que o croata tinha sido morto “por causa de sua participação no país na guerra contra o Estado Islâmico” e depois do prazo que o governo egípcio tinha para atender suas demandas. O grupo tinha estipulado a última sexta-feira como prazo para que o governo libertasse “mulheres muçulmanas” detidas no país.

Leia também

Estado Islâmico explode prisioneiros em novo vídeo

Adolescente sueca grávida é mantida prisioneira do EI na Síria

Estado Islâmico sequestra dezenas de cristãos em cidade síria

Um porta-voz do Ministério do Interior do Egito disse: “Vimos essa notícia, mas estamos no momento conduzindo nossa própria verificação. Se confirmarmos que é mesmo verdade, vamos informar à mídia por meio de um comunicado”. Procurando por agências de notícias internacionais, o Ministério de Relações Exteriores da Croácia informou que ainda não tinha como confirmar a morte de Salopek, mas estava em constante comunicação com as autoridades egípcias para esclarecer o caso.

Na semana passada, um vídeo publicado na internet pela Província do Sinai mostrava um homem que se identificava como Tomislav Salopek. Ele dizia que o grupo o mataria em 48 horas se as exigências dos terroristas não fossem atendidas. Salopek é funcionário da Ardiseis Egypt, uma subsidiária da empresa francesa CGG, especializada em exploração de petróleo e gás. Ele foi raptado em 22 de julho, no Cairo.

(Da redação)