Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Estado de Nova York tem recorde diário de mortes em crise do coronavírus

Apesar de o número de óbitos ter chegado a 731 nas últimas 24 horas, hospitalizações estão se estabilizando em um sinal promissor para o estado

Por Da Redação
Atualizado em 7 abr 2020, 16h48 - Publicado em 7 abr 2020, 16h25

O Estado de Nova York bateu um recorde diário de mortes na pandemia do novo coronavírus, com 731 óbitos nas últimas 24 horas. O governador Andrew Cuomo, contudo, disse nesta terça-feira, 7, que as hospitalizações estão se estabilizando, um sinal promissor para o estado mais atingido nos Estados Unidos.

O novo recorde de óbitos supera o total registrado no último sábado 4, de 630 mortes, que até então era o maior já registrado.

Apesar de o número total de mortes ter chegado a 5.489, Cuomo disse em uma coletiva diária nesta terça que está trabalhando com os governadores de New Jersey e Connecticut em um plano para retomar a vida assim que a crise ceder.

Cuomo afirmou que o fechamento de negócios e escolas e outras medidas de distanciamento social estão tendo o impacto esperado e incentivou a manutenção de seu cumprimento, especialmente porque a cidade de Nova York se prepara para um possível pico de hospitalizações nesta semana. “Nosso comportamento afeta o número de casos”, afirmou.

As 731 mortes novas registradas na segunda-feira assinalaram um aumento em relação às 599 mortes novas do dia anterior, enquanto as novas hospitalizações quase dobraram e chegaram a 656, contradizendo uma tendência dos últimos dias que Cuomo havia alardeado como um possível “achatamento da curva”.

Continua após a publicidade

Mas Cuomo alertou para que não se dê importância excessiva aos dados de um dia e enfatizou as médias de três dias, que ainda mostram uma tendência descendente no estresse sobre os hospitais estaduais. Ele ainda interpretou uma queda diárias nas internações em unidades de tratamento intensivo e uma diminuição das intubações como sinais encorajadores.

Cuomo disse que autoridades de saúde desenvolveram um regime de testes de anticorpos que foi aprovado pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos para uso no estado e que as agências reguladoras estão trabalhando para aumentar sua escala.

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, também disse que o número de respiradores necessários para pacientes com coronavírus “melhorou nos últimos dias”. “A boa notícia é que isso nos dá mais tempo” para conseguir mais respiradores, ressaltou o prefeito em entrevista coletiva.

Continua após a publicidade

Os hospitais de Nova York estão operando com capacidade máxima, e a cidade instalou instalações médicas temporárias no Central Park e no Centro de Convenções Jacob Javits. Também está se preparando para abrir outra nos próximos dias na gigante catedral de St. John the Divine, no noroeste de Manhattan, que receberá pelo menos 200 pacientes, bem como no estádio que abriga o US Open de Tênis em Flushing Meadows, Queens.

A nave central da catedral, o maior edifício gótico do mundo, já foi esvaziada e caixas com equipamentos se acumulam ao lado dela. Parte do hospital temporário será instalada na cripta.

Ao todo, a Covid-19 já deixou 5.489 mortos no estado de Nova York, informou Cuomo na entrevista coletiva. Os Estados Unidos registraram mais de 368.500 casos de coronavírus e 11.018 mortes, de acordo com a contagem mais recente da Universidade Johns Hopkins.

(Com Reuters e AFP)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.