Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Esta cadeira está ocupada’, responde Obama a Eastwood

Ator e diretor de cinema fez discurso com cadeira vazia atacando o presidente

O presidente americano Barack Obama respondeu com provocação o discurso do ator, diretor de cinema e republicano convicto Clint Eastwood a favor de seu rival nas eleições de novembro, Mitt Romney. A resposta veio através de um tweet com uma única frase e uma foto.

Leia mais:

Leia mais: Obama x Romney: Quem são e o que defendem os candidatos à Casa Branca

“Esta cadeira está ocupada”, escreveu Obama, em alusão à conversa simulada por Clint Eastwood na noite de quinta-feira, quando o ator falou a um presidente imaginário diante de uma cadeira vazia. A foto anexada ao tweet mostra Obama sentado em uma cadeira identificada como ‘o presidente’.

Eastwood roubou a cena na convenção do Partido Republicano em Tampa, na Flórida, na qual Romney foi oficializado como candidato do partido. Ele levou seu carisma e sua voz grave como orador para “esquentar” a plateia antes do discurso de Romney.

Clint Eastwood fala na Convenção Republicana em Tampa Clint Eastwood fala na Convenção Republicana em Tampa

Clint Eastwood fala na Convenção Republicana em Tampa (/)

A aparição dele, incluindo o improvisado monólogo com o Obama imaginário na cadeira vazia, empolgou muitos espectadores, mas foi bastante criticada por observadores de todo o espectro político. “Clint, meu herói, está parecendo triste e patético”, disse o lendário crítico de cinema Roger Ebert no Twitter. “Ele não precisava fazer isso consigo mesmo.” A frase “Obama invisível” se tornou viral na Internet, e fotos de pessoas com cadeiras vazias encheram o Twitter, mas muitos republicanos se mostraram verdadeiramente empolgados com a performance.

Discurso – Eastwood, de 82 anos, ganhador do Oscar como ator e diretor, declarou apoio a Romney neste mês. Depois de subir ao palco sob a música-tema do clássico faroeste “Três Homens em Conflito” (The Good, The Bad and The Ugly), Eastwood iniciou um discurso em que, com feição impassível, se alternava entre as críticas mordazes contra Obama e declarações de apoio a Romney, a quem elogiou por sua atuação empresarial “impecável”.

Mas em vários momentos ele parecia quase incoerente, saltando de tema em tema — a economia, a guerra no Afeganistão, a prisão militar de Guantánamo. A certa altura, afirmou que “nunca achei que seria uma boa ideia que advogados sejam presidentes”, aparentemente alheio ao fato de que Romney é formado em direito.

Num momento mais lúcido, Eastwood –entortando os olhos, com o rosto magro emoldurado por seus cabelos grisalhos e desalinhados– disse à multidão inflamada: “Quando alguém não faz o trabalho, temos de mandar embora”. Ocasionalmente, ele dava uma bronca na cadeira vazia, mandando que o Obama imaginário “calasse a boca”.

Assista ao vídeo em que Eastwood conversa com presidente imaginário (em inglês):

(Com agência Reuters)