Clique e assine com até 92% de desconto

Espião russo pode ter sido envenenado na porta de sua casa, diz polícia

Sergei Skripal e sua filha Yulia estão em estado crítico desde que foram encontrados inconscientes em 4 de março

Por Da redação Atualizado em 30 jul 2020, 20h24 - Publicado em 28 mar 2018, 20h55

A polícia britânica informou nesta quarta-feira que o ex-agente duplo russo Sergei Skripal e sua filha, envenenados por uma substância química em um ataque pelo qual o Reino Unido culpa a Rússia, podem ter sido expostos à substância na porta de sua casa.

“Especialistas identificaram a concentração mais alta do agente nervoso, até a presente data, na porta da frente do endereço”, informou a Scotland Yard em comunicado.

“Neste ponto de nossa investigação, nós acreditamos que os Skripal tiveram primeiro contato com o agente nervoso a partir de sua porta da frente”, disse o chefe do Comando Antiterrorismo da Polícia Metropolitana, Dean Haydon, em comunicado.

“Nós estamos focando grande parte de nossos esforços no endereço deles e arredores.”

Skripal e sua filha Yulia, de 33 anos, estão em estado crítico desde que foram encontrados inconscientes em um banco público na cidade inglesa de Salisbury em 4 de março. Um juiz britânico disse que eles podem ter sofrido lesões cerebrais permanentes.

  • Acusações feitas por Londres de que o ataque contra Skripal, um ex-oficial da inteligência militar de 66 anos que traiu dezenas de agentes russos para o Reino Unido, teria sido trabalho de Moscou foram negadas pela Rússia.

    Mas a questão levou as relações de Moscou com o Ocidente para uma nova baixa pós-Guerra Fria, com governos ocidentais, incluindo os Estados Unidos e o Reino Unido, expulsando dezenas de diplomatas russos. Moscou ameaçou tomar ação retaliatória.

    As expulsões anunciadas por cada país até o momento:

    [googlemaps https://www.google.com/maps/d/embed?mid=12dwIwEMC7UausH4ohmusKjbk-DfrzAtV&w=640&h=480%5D

    Europa

    – Dezenove países da União Europeia (em azul no mapa acima) expulsaram 59 diplomatas russos: o Reino Unido expulsou 23 diplomatas russos; AlemanhaFrança e Polônia expulsaram quatro diplomatas cada; Lituânia e República Tcheca expulsaram três cada; dois diplomatas russos foram expulsos na Dinamarca, na Espanha, na Holanda, na Itália e na Romênia; e, por fim, BélgicaCroáciaEstôniaFinlândiaHungriaIrlandaLetônia e Suécia expulsaram um russo cada.

    Continua após a publicidade

    – Outros seis países europeus expulsaram mais 21 diplomatas russos: Ucrânia (13 expulsos), Moldávia (3), Albânia (2), Macedônia (1), Montenegro (1) e Noruega (1).

    Diversos países da União Europeia informaram que ainda pretendem expulsar outros diplomatas enviados por Moscou, enquanto o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, falou que “não foram excluídas medidas adicionais” no âmbito da União nos próximos dias.

    América do Norte

    – O Canadá anunciou a expulsão de quatro diplomatas russos.

    – Os Estados Unidos irão expulsar 60 diplomatas da Rússia: como retaliação ao ataque contra Skripal, os americanos estão expulsando 48 diplomatas da Embaixada russa em Washington e 12 diplomatas da Missão da Rússia junto às Nações Unidas (ONU) em Nova York. Além disso, os americanos anunciaram o fechamento do Consulado-Geral da Rússia em Seattle, no noroeste do país, devido a sua proximidade à base da Boeing (que, além de aviões, produz equipamento militar) e de uma base de submarinos. Washington acusa os oficiais expulsos de terem realizado tarefas de inteligência sob o manto da imunidade diplomática.

    Oceania

    – A Austrália anunciou a expulsão de dois diplomatas russos.

    Otan

    – A Aliança do Atlântico Norte (Otan) decidiu expulsar sete diplomatas russos e negar credencial a outros três.

    (Com Reuters)

    Continua após a publicidade
    Publicidade