Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Especialistas temem que novo coletor de lixo espacial chinês possa ser usado como artefato militar

A China lançou recentemente a nave Aolong-1 e afirma que o artefato será usado para fins de limpeza espacial, mas especialistas e militares discordam

No sábado 25, o governo chinês colocou em órbita uma pequena nave espacial que teria como tarefa limpar o lixo espacial, os objetos inúteis que orbitam a Terra deixados por naves e satélites. No entanto, alguns analistas temem que o artefato possa ser usado com propósitos militares.

O Aolong-1 é equipado com um braço robótico que remove grandes detritos, como pedaços de antigos satélites, do espaço. Segundo o cientista de satélites da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China, Tang Yagang, a nave é a primeira de uma série que deve ser lançada para a limpeza de detritos de origem humana.

Leia também:

Coreia do Norte considera novo lançamento de míssil “um sucesso”

Tempestades matam ao menos 78 pessoas na China

Coreia do Norte realiza mais um teste de míssil

Entretanto, especialistas em tecnologia militar e artefatos espaciais não estão certos de que esse seja o único objetivo do governo chinês com o lançamento. “Não é realista querer remover todos os detritos espaciais com robôs. Há centenas de milhões de peças à deriva lá fora”, afirmou um pesquisador do Observatório Astronômico Nacional de Pequim, ao jornal South China Morning Post.

Durante períodos de paz, o artefato pode ser muito útil e até mesmo impedir que grandes detritos espaciais antigos colidam com a Terra, mas durante conflitos e guerras pode ser uma arma, afirma Yagang. A nave foi desenvolvida por cientistas e militares chineses de forma totalmente confidencial, o que aumenta as suspeitas sobre sua verdadeira função.

Para alguns militares, o Aolong-1 tem potencial para ser usado como uma arma anti-satélites, ou seja, um artefato que destrói ou incapacita o funcionamento normal dos satélites. A nave chinesa é pequena e pesa somente algumas centenas de quilos, o que permitiria também que fosse produzida e distribuída em larga escala.

(Da redação)