Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Espanha quer que UE substitua acordos com Mercosul por tratados bilaterais

A medida é forma de penalizar o governo de Cristina Kirchner, que decidiu estatizar a petroleira YPF, controlada pela espanhola Repsol

Por Da Redação 23 abr 2012, 16h12

Para punir a Argentina, o governo espanhol propôs, nesta segunda-feira, que a União Europeia (UE) substitua seus acordos comerciais com o Mercosul por tratados bilaterais com os demais países do bloco. A medida seria uma forma de penalizar o governo de Cristina Kirchner, que decidiu estatizar a petroleira YPF, controlada pela espanhola Repsol. “Devemos refletir sobre a possibilidade de não continuarmos as negociações com o Mercosul”, disse o ministro espanhol de Assuntos Exteriores, José Manuel García Margallo.

A União Europeia é o segundo maior parceiro comercial argentino, atrás apenas do Mercosul. Para demonstrar que a medida é plausível, Margallo citou o caso da Comunidade Andina. “Após tentarmos, sem sucesso, fazer acordos com o bloco inteiro (que reúne Bolívia, Colômbia, Equador e Peru), fechamos tratados com Colômbia e Peru”, afirmou o ministro, que participou nesta segunda-feira de uma reunião com seus homólogos da UE em Luxemburgo.

Leia também:

Leia também: Governo argentino quer concluir expropriação da YPF em 10 dias

Pressa – A lei que oficializa a expropriação da YPF deve ser aprovada em dez dias, afirmou o deputado Agustín Rossi, da base de Cristina. A informação foi divulgada pelo jornal argentino Clarín.

O projeto deve ser debatido na próxima quarta-feira no Senado. Rossi espera que o texto seja aprovado por uma “maioria esmagadora”, já que, pelas contas dele, 60 dos 72 senadores são favoráveis à iniciativa de Cristina. Após a discussão no Senado, o projeto seguirá para a Câmara, onde deve ser votado até o dia 3, assegurou Rossi.

(Com agências France-Presse e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade