Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Espanha admite erro com brasileiros

Por Ricardo Gomez - 19 mar 2008, 17h58

O governo espanhol admitiu nesta quarta-feira que errou ao barrar alguns viajantes brasileiros neste mês, dando início a um impasse diplomático entre Espanha e Brasil. Segundo declarou um porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da Espanha à agência de notícias Reuters, o ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, desconhecia o problema até as detenções e deportações começarem a chamar a atenção da imprensa internacional. Rubalcaba teria dito que “nenhum sistema é infalível”. Em um levantamento, o governo espanhol descobriu que a negativa de entrada a brasileiros aumentou em 20 vezes nos últimos meses.

“Sabemos que existe imigração ilegal e não a defendemos, mas nos incomodou o fato de que foram recusadas muitas pessoas com toda a documentação necessária”, disse o porta-voz. Ele acrescentou que denúncias da imprensa ajudaram a acelerar as negociações e “o caso está em vias de ser solucionado”. O primeiro passo para isso foi a definição de uma reunião entre representantes dos dois países, marcada para o final do mês em Madri.

O porta-voz, porém, negou haver pressão por parte da União Européia (UE) para justificar a deportação de brasileiros, conforme havia sugerido o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara brasileira, deputado Marcondes Gadelha (PSB-PB). Em resposta, disse que existem requisitos para ingresso nos países que compõem o bloco, mas que houve erros nos recentes episódios de viajantes brasileiros.

Sem crise – A chancelaria espanhola não trabalha com a possibilidade de novo impasse, pois considera haver vontade política de ambos os lados para resolver a crise. Com isso, espera-se que não se repita o episódio do último dia 5, quando um grupo de 30 brasileiros foi barrado no aeroporto de Barajas, em Madri, e deportado sem justificativas. Dois dias depois, oito espanhóis receberam tratamento semelhante no aeroporto de Salvador, na Bahia.

Publicidade