Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Escutas ilegais provocam detenção de ex-diretor de comunicação do primeiro-ministro britânico

Coulson era o diretor do 'News of the World' em 2006, quando estourou o caso dos grampos ilegais patrocinados pelo tabloide britânico

Por Da Redação 8 jul 2011, 09h50

“A decisão de nomeá-lo foi minha e apenas minha”, disse Cameron. “Assumo plena responsabilidade”

Andy Coulson, ex-diretor de comunicação do primeiro-ministro britânico David Cameron, foi detido nesta sexta-feira, em Londres, em consequência do escândalo de escutas telefônicas ilegais praticadas pelo tabloide News of the World. Coulson, de 43 anos, foi detido às 10h30 no horário local (6h30 de Brasília). Coulson era o diretor do News of the World em 2006, quando estourou o caso dos grampos ilegais patrocinados pelo tabloide britânico para ter acesso às conversas de celebridades, políticos e, segundo recentes revelações, até vítimas de crimes e familiares de soldados mortos no Iraque e Afeganistão.

Os investigadores acreditam que ele estava a par das escutas nos anos em que dirigiu o tabloide e talvez tenha se envolvido diretamente no escândalo. Em janeiro, Coulson renunciou ao cargo de diretor de comunicações do premiê britânico. Nesta semana, foi anunciado o fechamento do jornal. Pouco antes da detenção de Coulson, Cameron havia informado que criaria uma comissão para investigar o caso. O premiê também afirmou que assumia toda a responsabilidade por ter contratado Coulson. “A decisão de nomeá-lo foi minha e apenas minha”, disse. “Assumo plena responsabilidade”, completou o premiê.

Ao mesmo tempo, seu ex-diretor de comunicação prestava depoimento em uma delegacia de Londres. O caso estourou há cinco anos, quando foi revelado que jornalistas do diário mais vendido do mundo em língua inglesa recorriam a grampos para ter acesso a conversas de políticos e celebridades. A crise se agravou no início de junho deste ano, quando a polícia britânica descobriu que personalidades como Kate Middleton (antes de se casar com o príncipe William) e o ex-premiê Tony Blair haviam sido alvos das escutas ilegais do News of the World.

Recentemente, o caso ganhou uma dimensão ainda maior com a revelação de que um dos alvos de escuta ilegal foi Milly Dowler, uma menina de 13 anos que desapareceu em 2002 e depois foi encontrada morta. Mensagens de sua caixa postal foram apagadas pelos investigadores pagos pelo tabloide, de modo a liberar espaço para mais recados. Isso induziu polícia e familiares a pensar que a garota ainda estivesse viva.

(Com Agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade