Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Escolha de Paul Ryan para vice de Romney tranquiliza os conservadores

Romney nomeou inimigo dos gastos públicos como companheiro de chapa

A designação do congressista Paul Ryan, um grande inimigo dos gastos públicos, como vice de Mitt Romney revela que o candidato republicano à presidência acredita que os eleitores desejam um debate sobre o futuro fiscal e sobre o papel do governo na vida dos Estados Unidos. O candidato republicano designou como vice neste sábado um herói dos conservadores.

Leia também:

Leia também: Obama e Romney estão empatados nas intenções de votos

Ryan, um sério e entusiástico “falcão fiscal” que ganhou notoriedade na Câmara de Representantes com um plano orçamentário para cortar gastos, tem uma clara simpatia de conservadores influentes que desejavam para Romney um companheiro de chapa que despertasse paixões.

A escolha de Ryan tranquiliza os conservadores, que poderiam ter suspeitas pelas mudanças nas posturas de Romney sobre temas como o aborto ou os direitos dos homossexuais. Por outro lado, analistas questionam se o candidato republicano está cortejando os eleitores adequados nestas eleições acirradas. “Romney deve se concentrar nos eleitores independentes nos estados-chave e não acredito que Paul Ryan o ajude”, disse o analista político da Universidade Emory, Alan Abramowitz.

Economia – O congressista, que aos 42 anos passou um terço da vida como representante por Wisconsin, estimulou um debate sobre o caminho da economia do país na condição de presidente do Comitê de Orçamento da Câmara de Representantes. “Estamos oferecendo ao país um caminho melhor para avançar”, afirmou Ryan em março, pouco antes de a Câmara ter aprovado o orçamento, com 228 votos a favor, todos de republicanos, e 191 contrários.

Apesar de o orçamento, que prevê cortes de cinco trilhões de dólares na próxima década, não ter qualquer chance de aprovação no Senado, de maioria democrata, trata-se de um documento que estabelece as principais diretrizes republicanas sobre gastos e dívidas.

O plano, obviamente, é alvo de críticas do presidente Barack Obama, para quem as diretrizes concedem isenções tributárias aos milionários (como Romney), ao mesmo tempo que eliminam programas sociais federais. Além disso, o projeto prevê a privatização parcial do Medicare, programa de assistência médica para idosos.

Perfil – Ryan nasceu e cresceu em Janesville, Wisconsin, onde ainda mora com a mulher e os três filhos. Seu pai morreu quando ele ainda estava no colégio, o que fez de Ryan um jovem introspectivo, voltado para os livros. “Cresci muito rápido”, disse em uma recente entrevista à revista The New Yorker.

Depois de trabalhar em 1996 para o candidato republicano à vice-presidência Jack Kemp, Ryan foi eleito para o Congresso pela primeira vez em 1998, aos 28 anos. Em 2004 ganhou fama pelos esforços para privatizar o programa de aposentadorias do governo. É considerado uma estrela ascendente no Partido Republicano.

(Com agência France-Presse)