Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Erdogan afirma que Turquia perdeu esperança com ex-aliado sírio

Por Adem Altan 15 nov 2011, 10h36

A Turquia perdeu a esperança de ver o regime sírio responder favoravelmente aos apelos da comunidade internacional para que se comprometa com reformas democráticas e ponha fim à repressão, declarou nesta terça-feira seu primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan.

“Não esperamos mais que o governo de Assad mostre uma liderança honesta, persuasiva, brava e determinada”, disse ao Parlamento, acrescentado: “Ninguém espera dele que atenda aos pedidos da comunidade internacional”.

Erdogan, que era um aliado político e amigo pessoal do presidente sírio, Bashar al-Assad, manifesta há meses a sua frustração com a atitude adotada pelo regime de Damasco em relação ao movimento de contestação no país vizinho que deixou 3.500 mortos desde março, segundo a ONU.

“O governo sírio segue um caminho muito perigoso e está sobre o filho da navalha”, considerou Erdogan que preveniu que um “precipício” está no fim do caminho escolhido por Damasco.

Aliada econômica e política da Síria antes das convulsões registradas neste país, a Turquia condenou fortemente a repressão e Erdogan chegou a anunciar que havia rompido seus laços com o regime de Damasco.

No sábado, representações diplomáticas turcas situadas, principalmente, em Damasco e Alep foram alvos de violentas manifestações de partidários do regime sírio após a decisão da Ligue Árabe de suspender a Síria.

Esses ataques levaram a Turquia a repatriar as famílias dos diplomatas e de seu pessoal não-essencial da Síria.

Apesar do pedido de desculpas feito pelo ministro sírio das Relações Exteriores, Walid Mouallem, a Turquia afirmou que espera um pedido oficial.

Continua após a publicidade
Publicidade